Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Bondeconomia - Por Fernando Bond

Bondeconomia Por Fernando Bond

Bondeconomia - Por Fernando Bond

Governo Bolsonaro corta 50% dos recursos para a infraestrutura de SC e setor produtivo reage

Publicado em 03/05/2021 Comente!

FOTO: CORTE ORÇAMENTO RODOVIAS

FOTO: CORTE ORÇAMENTO RODOVIAS

“O corte no orçamento federal para obras de infraestrutura atrasa ainda mais a previsão de entrega de rodovias fundamentais para a competitividade de Santa Catarina”, avalia o presidente da Federação das Indústrias, Mario Cezar de Aguiar. O Projeto de Lei Orçamentária Anual 2021 previa R$ 271,6 milhões para infraestrutura, considerando as emendas parlamentares, mas o governo federal cortou R$ 136,5 milhões, ou seja, uma redução de 50%. A medida afeta a execução de obras nas BRs 470, 282, 280, 163 e 285.

TODO BRASIL

A decisão não prejudica apenas Santa Catarina, mas todas as unidades da federação e decorre da necessidade de priorizar o enfrentamento da pandemia e de criar programas sociais. "A recorrente falta de recursos evidencia que é fundamental termos marco regulatório e estrutura institucional adequada para viabilizar os investimentos privados no setor de infraestrutura. Além disso, precisamos estruturar um banco de projetos viáveis e atraentes ao setor privado, pois existe disponibilidade de recursos no mundo em busca de bons projetos para investir”, afirma, lembrando que o orçamento da União é muitíssimo inferior à demanda catarinense, e, mesmo assim, todos os anos, o estado é surpreendido com corte de recursos. "Vamos avaliar com a bancada federal catarinense alternativas buscando reverter pelo menos uma parte do corte", acrescenta.
 

DIFICULDADES

Aguiar lembra que em março, Santa Catarina registrou recorde na movimentação de cargas nos portos. “Isso mostra que a nossa economia está ativa e os portos são eficientes. Somos uma plataforma logística fundamental para a economia brasileira. Respondemos por 20,2% da movimentação de todos os contêineres brasileiros. Mas o acesso aos portos e as nossas rodovias estão em condições precárias e não temos ferrovias. Na prática, a única rodovia federal duplicada em Santa Catarina é a BR-101, que, inclusive, também está congestionada e sem condições de trafegabilidade no trecho Norte”, completou Aguiar.

PELO MUNDO

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, conquistou a habilitação para mais duas unidades produtivas exportarem para a África do Sul. As plantas de Lucas do Rio Verde (MT) e de Lajeado (RS) receberam autorização para exportar suínos e frangos, respectivamente. Com as duas, já são 20 unidades da BRF habilitadas a exportar para o país africano diferentes tipos de itens (são 59 habilitações no total - a unidade de Lucas do Rio Verde, por exemplo, já era habilitada para exportar frangos e agora ganha mais uma opção). Com cerca de 60 milhões de habitantes (número comparável ao da população da Itália), a África do Sul apresenta a mais alta renda per capita em seu continente, sendo considerado um dos países de economia emergente.

 VISÃO 2030

“As novas habilitações fortalecem a inserção da BRF em mercados estratégicos, de forma alinhada com as perspectivas de crescimento traçadas pela nossa Visão 2030. Consolidar nossa presença em uma das maiores economias do continente é fundamental para expandirmos e diversificarmos nosso portfólio globalmente”, afirma Luiz Tavares, gerente executivo de Relações Institucionais Internacionais da BRF.

A BRF

Uma das maiores empresas de alimentos do mundo, a BRF está presente em mais de 130 países e é dona de marcas icônicas como Sadia, Perdigão e Qualy. Seu propósito é oferecer alimentos de qualidade cada vez mais saborosos e práticos, para pessoas em todo o mundo, por meio da gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa, que proporciona vida melhor a todos, do campo à mesa. Pautada pelos compromissos fundamentais de segurança, qualidade e integridade, a Companhia baseia sua estratégia em uma visão de longo prazo e visa gerar valor para seus mais de 95 mil colaboradores no mundo, mais de 300 mil clientes e aproximadamente 10 mil integrados no Brasil, todos os seus acionistas e para a sociedade.

 

Comentários

Bondeconomia

Por Fernando Bond

Agenda

+ eventos

Classificados

+ anúncios