Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

Navio encalha ! Canal de Suez para ! Mundo inteiro sofre ! Commodites são afetadas e petróleo dispara

Publicado em 26/03/2021 Editoria: AgroNews Comente!


CORN - MILHO

Os preços internacionais do milho futuro subiram na Bolsa de Chicago (CBOT) neste último dia da semana. As principais cotações registraram movimentações positivas entre 1,00 e 6,00 pontos ao final da sexta-feira.

O vencimento maio/21 foi cotado à US$ 5,52 com valorização de 6,00 pontos, o julho/21 valeu US$ 5,35 com alta de 3,25 pontos, o setembro/21 foi negociado por R$ 4,83 com ganho de 1,00 ponto e o dezembro/21 teve valor de US$ 4,66 com elevação de 1,00 ponto.

Esses índices representaram altas, com relação ao fechamento da última quinta-feira, de 1,10% para o maio/21, de 0,56% para o julho/21, de 0,21% para o setembro/21 e de 022% para o dezembro/21.

Com relação ao fechamento da última semana, os futuros do milho acumularam quedas de 0,90% para o maio/21, de 0,56% para o julho/21, de 1,23% para o setembro/21 e de 1,06% para o dezembro/21 na comparação com a última sexta-feira (19).

miho    
         
Chicago (CME)    
CONTRATO US$/bu VAR   US$/MT
MAY 2021 552,5 6   217,52
jul/21 535,75 3,25   210,92
SEP 2021 483,75 1   190,45
DEC 2021 466,5 1   183,66
Última atualização: 16:01 (26/03) Preço $/MT sem premio 

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho foram ajudados por uma rodada de compras técnicas no final do dia, em uma sessão um tanto agitada na sexta-feira, que ajudou a mover os preços moderadamente para cima no fechamento.

A publicação destaca ainda que, o mercado aguarda a divulgação do próximo relatório de intenção de plantio norte-americano do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Uma pesquisa da Farm Futures apontou que os acres de milho podem aumentar 3,1% neste ano para 93,6 milhões de acres. “Supondo que a linha de tendência produza 179,5 bushels por acre, isso levaria a 15,413 bilhões de bushels - a maior produção já registrada, se realizada”.

Enquanto isso, uma pesquisa da Reuters com cerca de 30 analistas mostra que a expectativa média é de 93,208 milhões de acres.

De acordo com informações obitdas pela equipe SAG-KK, os preços do milho continuam caindo em todo mercado internacional. Nos mercados à vista e começando na Ásia, os futuros do milho na Bolsa de Dalian diminuíram ligeiramente, com o contrato de maio ainda em CNY2.716/t  (US$ 414,89/t). 

As  ofertas  para  o  Vietnã  também  diminuíram  e chegaram a US$ 299,20/t para carregamento em maio com base nos CIF Phu My e Cai Mep, no sul do Vietnã. O milho entregue a Hai Phong, no norte do Vietnã, foi oferecido a US$ 294,70/t para carregamento em junho.

Na Ucrânia, as ofertas para carregamento spot caíram para  US$  261/t  FOB  HIPP  e  US$  258/t  FOB  Mykolaiv, mas para a segunda metade do carregamento de abril-maio, as ofertas permaneceram na faixa de US$ 263- $ 265/t FOB HIPP. Ofertas de panamaxes com documentos chineses foram ouvidas a  partir de  US$  268/t FOB PIPP, mas sem juros firmes. Enquanto isso, um comércio de papel foi relatado em US$ 259,50- $ 260/t FOB HIPP para a segunda metade do carregamento de abril. Em outro lugar, os dados do porto do Atlântico francês de La Pallice mostraram 97.380 MT  de cevada carregando para a China, junto com 95.500 MT de milho divididos entre uma parcela de 30.000 MT para a Holanda, 31.300 MT para Portugal, 21.200 MT para a Costa do Marfim e 13.000 MT para a Irlanda. 

Para  o  milho,  os  carregamentos  estiveram  entre  os maiores  volumes  nos  últimos  meses,  com  traders explicando que os negócios foram fechados quando o milho  francês  era  mais  competitivo  nos  países europeus em comparação com o importado de origem ucraniana. No entanto, por enquanto, a demanda por milho em geral permanece muito limitada, visto que há trigo mais barato disponível.

miho  
       
  B3 (Bolsa)       US$/MT
mai/21 94,67 0,13%      274,88
jul/21 89,75 0,17%      260,60
set/21 84,6 0,15%      245,64
nov/21 85,18 0,82%      247,33
Última atualização: 18:00 (26/03) Preço $/MT sem premio 

Os preços futuros do milho contabilizaram elevações nesta sexta-feira na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registraram movimentações positivas entre 0,81% e 1,31% por volta das 16h21 (horário de Brasília).

O vencimento maio/21 foi contado à R$ 94,55 com valorização de 1,31%, o julho/21 valeu R$ 89,60 com alta de 0,81%, o setembro/21 foi negociado por R$ 84,47 com ganho de 1,04% e o novembro/21 tinha valor de R$ 85,18 com elevação de 0,82%.

Com relação ao fechamento da última semana, os futuros do milho acumularam ganhos de 1,95% para o maio/21, de 1,24% para o julho/21, de 1,96% para o setembro/21 e de 1,88% para o novembro/21 na comparação com a última sexta-feira (19).

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, o mercado brasileiro segue firme porque não há vendedores querendo vender milho no momento e obriga o pequeno granjeiro e os independentes a pagar mais.

“O mercado não baixa de R$ 90,00 na B3 para os contratos mais curtos e R$ 88,00 para o médio. Só vamos ver cotações mais baixas no segundo semestre quando vier a safrinha, que mesmo assim tem indicativos fortes porque o clima pode estar mais seco a frente e já começa a criar um temor”, explica o analista.

A sexta-feira (26) chega ao final com os preços do milho novamente elevados no mercado físico brasileiro. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, não foram percebidas desvalorizações em nenhuma das praças.

Já as valorizações apareceram em Palma Sola/SC (1,20% e preço de R$ 84,00), Panambi/RS (1,22% e preço de R$ 79,50), Cascavel/PR (1,23% e preço de R$ 82,00), Não-Me-Toque/RS (1,27% e preço de R$ 79,50), Pato Branco/PR (2,42% e preço de R$ 84,70), Cândido Mota/SP (2,44% e preço de R$ 84,00), Ubiratã/PR, Londrina/PR e Marechal

Cândido Rondon/PR (2,47% e preço de R$ 83,00) e Eldorado/MS (2,58% e preço de R$ 79,50).

INDICADOR DO MILHO ESALQ/BM&FBOVESPA (Mercado)  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$    US$/MT
26/03/2021 93,4 0,10% 9,35% 16,25      271,20
25/03/2021 93,31 0,30% 9,25% 16,47     270,93
24/03/2021 93,03 0,51% 8,92% 16,57     270,12
23/03/2021 92,56 -0,76% 8,37% 16,79     268,76
22/03/2021 93,27 -0,62% 9,20% 16,92 Preço $/MT sem premio 

De acordo com o reporte diário da Radar Investimentos, “as cotações do milho no mercado físico ficaram de lado nos últimos 10 dias na maioria das praças paulistas. O avanço da colheita da soja trouxe uma maior evolução do plantio da safrinha em MT, MS e PR. Por outro lado, a volatilidade do dólar ainda gera cautela por parte dos participantes”.

O mercado de milho do Rio Grande do Sul tem mai um dia de negociações lentas, com apenas compras de reposição, de acordo com informações obitdas pelos nossos correspondentes. Assim, as indicações permaneceram inalteradas. Negócios com entrega maio a R$  89,00 em Não-Me-Toque; e indicações em Arroio do Meio a R$ 89,00 abril; Marau a R$ 88,00; Ipê a R$ 87,00 e Itapejara a R$ 84,00.

Em Santa Catarina existem compradores em busca de lotes, com negócios que rodaram CIF a até R$ 92,00. Em um milho com origem do Mato Grosso do Sul,  R$ 83,00 + ICMS, na negociação FOB Maracaju para o Oeste do estado. Vendedores com base em Chapecó pediam R$ 93,00  no  diferido, e tiveram contra ofertas de até R$ 92,00.  Especula-se que cerca de 8 mil toneladas teriam saído do FOB Paraná, com destino provável ao oeste do Estado.

Já no Paraná, foram vistos negócios realizados a R$ 91,00 no sudoeste. Conforme comentamos acima, rumores de mercado levam a crer que cerca de 8 mil toneladas teriam saído do Estado em direção à Santa Catarina, a R$ 90,00 no FOB tributado. Ademais, pequenos lotes foram vistos sendo negociados no oeste, sudoeste e  norte pioneiro  – cada um destes com não mais do 600 toneladas. No Oeste, sabe-se que ao menos 300 toneladas teriam sido vendidas a R$ 91,00.

Após dois dias de alta, o mercado do Mato Grosso do Sul esteve mais estável nesta sexte-feira. Com  as  recentes altas nas indicações de cerealistas e tradings, os primeiros dias da semana apresentaram um volume razoável de negócios no milho para o Estado do Mato Grosso do Sul. Hoje, no entanto, viu-se uma negociação mais calma, à medida que poucos lotes estavam disponíveis no mercado.  Indicações  em Dourados e Campo Grande a R$ 79,00; R$ 78,00 a saca em Maracaju; R$ 77,00 para Sidrolândia, São Gabriel do Oeste e Chapadão; R$ 78,00 para Eldorado.

Do lado das lavouras, 65% já foram colhidas, restando 1% ainda em germinação ou descanso vegetativo, 5% em floração, 14% em enchimento de grãos e 15% já na maturação.

 

SOYBEAN -SOJA

A mesma força que puxou as cotações da soja durante toda a semana também pressionou o mercado nos últimos dias e assim, grão e derivado terminaram a sexta-feira (26) em queda na Bolsa de Chicago.

SOJA - CME - CHICAGO
CONTRATO US$/bu Variação (cts/US$) Variação (%)
mai/21 14,005 -13,75 -0,97
jul/21 13,9125 -13,25 -0,94
ago/21 13,4575 -12,75 -0,94
set/21 12,57 -7,75 -0,61
       
Última atualização: 17:02 (26/03)  

"Os óleos vegetais como um todo estiveram muito voláteis nesta semana. Para os futuros do óleo de soja em Chicago, dois limites baixa, um de alta. E essa volatilidade também transmitida ao grão", explica Eduardo Vanin, analista de mercado da Agrinvest Commodities, em entrevista ao Notícias Agrícolas. 

As baixas entre as posições mais negociadas na CBOT do grão ficaram entre 0,81% e 1,13%, com o maio sendo cotado a US$ 14,00 e o agosto, US$ 13,45 por bushel. Entre os preços do óleo, somente nesta sexta-feira, as perdas foram de mais de 4%, como maio fechando com 52,48 cents de dólar por libra-peso e o agosto, 47,80 cents/lp. 

SOJA - PREMIO - CBOT / PNG
CONTRATO VALOR
mar/21 -25
abr/21 -20
mai/21 -10
jun/21 15
Última atualização: 26/03/2021

O mercado de óleos vem de um momento de menor oferta e baixos estoques em diversas frentes, não só no óleo de soja, o que vem puxando as cotações de uma forma geral, principalmente entre as cotações do óleo de palma. 

"Os estoques de óleo de soja estão baixos nos EUA, isso por conta do consumo maior para biodiesel, e isso abre a possibilidade de arbitragem, a importação de óleo - que está barato nos EUA - devido ao encarecimento de Chicago e dos prêmios que também estão altos. E houve rumores de que a Argentina possa ter vendido dois barcos de óleo de soja para os EUA, isso acaba trazendo um peso para os preços na Bolsa de Chicago", diz Vanin. 

A pressão, todavia, pode ser pontual, uma vez que os estoques americanos - e globais - de óleo estão bastante apertados e a demanda continua forte. E agora, o mercado se foca em receber relatórios importantes que chegam na próxima semana e que podem ajudar a definir um melhor direcionamento para o mercado. 

           
Preço soja referência (chicago ):$/MT 510,92   26/mar
           
Preço Brasil - esalq - Paranaguá: $/MT 499,56   26/mar
           
Preço Brasil - Paranaguá: $/MT 493,61   26/mar
PREÇO REFERÊNCIA FAS PARANAGUÁ NET.  Preço Brasil MI = R$ 173,00 por saca

Entre eles está o boletim Prospective Plantings, com as primeiras projeções oficiais de área de plantio nos EUA a ser reportado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). "Já podemos ver que o intervalo das expectativas é bastante amplo para soja e milho, para o algodão um pouco menos. Então, haverá bastante volatilidade", explica o analista. 

Se espera um aumento forte para a área a ser destinada à soja na safra 2021/22 e, sendo confirmada no dia 31, poderia exercer alguma pressão inicial sobre as cotações. Mais do que isso, o clima começa a ganhar cada vez mais espaço no radar dos traders e sinaliza um cenário positivo neste início de temporada, o que inclusive, em termos de temperaturas e níveis de água no solo, influencia os produtores americanos a tomarem sua decisão.

  soja US$ 5,74
       
  B3 (Bolsa)    
CONTRATO US$/sc R$/sc VAR
mai/21 30,91 177,42 -0,80%
   
Última atualização: 15:21 (26/03)  

 De acordo com informações obtidas pelos especialistas em analise de mercado da SAG-KK, foi registrada uma queda geral nos preços da soja em todas as regiões do mercado internacional, além de ter sido reportada mais uma negociação de dois navios brasileiros para China. Na China, os estoques totais de soja caíram 140.000 toneladas na semana e chega a  5,05 milhões de toneladas, queda de 650.000 toneladas no mês, mas um aumento de 1,97 milhão de toneladas em comparação com o mesmo ponto do ano passado.

No mercado  CFR  China,  as  atividades  continuaram  a  ser  amplamente  impulsionadas  por  casas  de  comércio internacional, em vez de trituradores chineses, devido às margens de esmagamento negativas.

Uma  remessa  de  julho  do  Brasil  mudou  de  mãos a 162-163 c/bu sobre o futuro de julho com base CFR e a remessa de maio foi negociada a 128 c/bu sobre o futuro de maio na quarta-feira durante a noite. Na Sexta-feira, uma oferta de embarque de maio foi indicada  a  140  c/bu  sobre  o  futuro  de  maio  e  uma oferta  para  julho  foi  relatada  a  165  c/bu  sobre  o futuro de julho.  

O indicador CFR China para o embarque em maio da opção mais barata com base no CFR China foi avaliado em US$ 571/tonelada. Nos mercados de origem, os preços para embarques à vista no mercado brasileiro de papel de Paranaguá se firmaram ligeiramente no dia em relação aos futuros mais fracos e à estabilidade do real. Abril foi avaliado 1 c/bu mais baixo em -19 c/bu para os  futuros de maio e maio foi avaliado em -18 c/bu para os futuros de maio, equivalendo a $ 513,25/t e $ 513,75/t, respectivamente.

INDICADOR DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA - PARANAGUÁ
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$
26/03/2021 172,05 0,62% 2,75% 29,94
25/03/2021 170,99 0,49% 2,11% 30,17
24/03/2021 170,15 0,81% 1,61% 30,31
23/03/2021 168,78 0,27% 0,79% 30,61
22/03/2021 168,32 0,09% 0,52% 30,53

No Brasil, o que se registra ainda é um mercado tranquilo, sem grandes movimentações, pouco interesse dos produtores em vender agora e os prêmios ainda sem esboçar também uma reação. A China tem seu apetite limitado por novas compras por agora e isso é negativo. 

"Um destaque aqui para o Brasil é o nosso programa de biodiesel. No último leilão, o preço do biodiesel ficou muito baixo, e o preço do óleo continuou subindo, e essa diferença é enorme. Para quem não tem a originação da soja essa situação penaliza muito. E para o próximo leilão teremos que ver como ficará o preço do biodiesel em relação ao óleo degomado", detalha o analista da Agrinvest. 

Em meio a tensões políticas, o mercado da soja se torna incerto no estado do Rio Grande do Sul, de acordo com informações de nossos correspondentes . Todavia, o Rio Grande do Sul ainda foi bem com preços até 0,6% mais altos durante as compras e bons volumes sendo vendidos sem informações sobre o local de destino. Mercado futuro para 2021: R$ 173,50 Entrega Imediata; R$ 172,50 abril; R$ 173,50 maio; R$ 175,50 junho; R$ 177,00 julho; R$ 178,50 agosto. Mercado futuro para 2022: R$ 156,00 março; R$ 156,20 abril; R$ 158,50 maio.

Em Santa Catarina, as mercadorias estão saindo a bons valores. Na Ferrovia, em Maringá, fevereiro de 2022 R$ 163,00 (162,70) abril, R$ 163,50 (163,20) maio, R$ 164,50 (164,30) junho. CIF Paranaguá/São Francisco do Sul 2021, maio R$ 175,00 (171,30 anterior), junho R$ 178,30 (174,40), julho R$ 179,10 (176,10), agosto R$ 180,20 (177,20). Para 2022 os preços seriam para fevereiro R$ 154,70 (152,70), março R$ 153,70 (151,70), abril R$ 154,50 (151,50) e maio R$ 157,00 (153,00). Em Minas Gerais, o mercado manteve a alta do dia anterior.

 

SUGAR - AÇUCAR

May NY world sugar 11 (SBK21) on Friday closed up +0.10 (+0.66%) at $443.16, and May London white sugar 5 (SWK21) closed down -2.10 (-0.48%) at $437.10..

Sugar prices on Friday settled mixed. NY sugar is consolidating above Thursday&39;s 2-3/4 month nearest-futures low, and London sugar is consolidating above Tuesday&39;s 2-1/2 month low.

A +4% rally in crude oil prices on Friday is positive for sugar prices. Strong crude prices benefit ethanol prices and may encourage Brazil&39;s sugar mills to divert more cane crushing to ethanol production rather than sugar production, thus curbing sugar supplies.

However, sugar prices are being undercut by weakness in the Brazilian real (^USDBRL) which fell -1.72% Friday to a 2-week low against the dollar, which encourages export selling by Brazil&39;s sugar producers.

US$/MT
443,16
Preço $/MT sem premio 

Signs of abundant global sugar production are negative for prices. Unica reported on Thursday that Brazil&39;s Center-South sugar production Oct through mid-Mar was up +44% y/y to 38.287 MMT. The percentage of cane used for sugar rose to 46.16% in 2020/21 34.38% in 2019/20. Also, researcher Datagro on March 10 projected that the global sugar market in 2021/22 would shift to a surplus of +1.1 MMT after a -2.6 MMT deficit in 2020/21.

Increased sugar output India, the world&39;s second-biggest sugar exporter, is negative for sugar prices. India&39;s Sugar Mills Association reported last Wednesday that India&39;s Oct-Mar 15 sugar production rose +20% y/y to 25.87 MMT. The India Sugar Trade Association on Feb 11 forecast that 2020/21 India sugar production will increase +9% y/y to 29.9 MMT.

Sugar prices are being undercut by demand concerns as a third Covid wave in Europe has prompted France, Germany, and Italy to widen their pandemic lockdown measures, which will reduce economic growth and commodity demand.

Sugar prices have underlying support concern about the possibility of reduced sugar exports Brazil. On Feb 22, Brazil reported that current shipping delays for its soybean exports might curb global sugar supplies because the queue of vessels waiting at Brazilian ports is so large that bottlenecks will likely continue until May when sugar is normally the biggest crop for export.

US$/MT
437.10
Preço $/MT sem premio 

Sugar also has support falling production in Thailand, the world&39;s second-largest sugar exporter. The Thailand Office of the Cane & Sugar Board reported last Wednesday that Thailand&39;s 2020/21 sugar production Dec 10-Mar 15 fell -8.2% y/y to 7.5 MMT.

Signs of smaller sugar exports India are another positive factor for sugar prices. The Indian Sugar Mills Association (ISMA) said last Wednesday that India&39;s sugar mills had contracted only 4.3 MMT of sugar exports this year, below the government&39;s export target of 6 MMT due to a shortage of shipping containers.

Big Picture Sugar Market Factors: World sugar production in 2020/21 (Apr/Mar) is expected to climb +0.9% y/y to 171.1 MMT after falling -8.4% in 2019/20 to 169.6 MMT (ISO). The world sugar deficit in 2020/21 is expected to widen to a -4.8 MMT deficit a +900,000 MT surplus in 2019/20 (ISO). Sugar production by Brazil, the world&39;s largest sugar producer, in 2020/21 (Apr/Mar) will climb by +32% y/y to 39.3 MMT 29.8 MMT in 2019/20, as millers divert 46.4% of cane juice to produce sugar (up 34.9% in 2019/20) due to the weak outlook for ethanol demand and prices (Conab). Sugar production by India, the world&39;s second-largest sugar producer, in 2020/21 will climb +13% y/y to 31 MMT due to a good monsoon season (India&39;s Sugar Mills Association).

As cotações futuras do açúcar encerraram esta sexta-feira (26) com alta moderada de 0,66% na Bolsa de Nova York e queda de 0,48% em Londres. Apesar de valorização no dia no terminal norte-americano acompanhando o petróleo, as perdas semanais acumuladas foram de mais de 3%.

O principal vencimento do açúcar na Bolsa de Nova York subiu no dia 0,66%, cotado a US$ 15,19 ($443.16/MT)  c/lb, com máxima no dia de 15,29 c/lb e mínima de 15,09 c/lb. O tipo branco em Londres finalizou a sessão com recuo de 0,48%, a US$ 437,10 a tonelada.

O dia no mercado acompanhou uma retomada do petróleo no cenário internacional com ganhos de mais de 4% para o WTI e Brent, cotados a US$ 60 e 64 o barril, respectivamente, em recuperação das preocupações do navio de contêineres que bloqueava o Canal de Suez.

“Uma alta de 4% nos preços do petróleo nesta sexta-feira é positiva para os preços do açúcar. Os altos valores beneficiam o etanol e podem encorajar as usinas do Brasil a desviarem maior moagem para o biocombustível em vez de açúcar, restringindo assim o fornecimento”, disse a Barchart.

Como fator de baixa no dia, houve atenção para a disparada do dólar sobre o real com a aprovação do Orçamento de 2021 pelo Congresso Nacional e a pandemia do coronavírus. Uma moeda estrangeira mais alta tende a encorajar as exportações da commodity pelo Brasil, pressionando os preços.

Ainda como limitador da alta também seguem as preocupações com a demanda. "Essa pandemia está fazendo com que a gente tenha que repensar todo tamanho do consumo global e qual será a extensão real de sua queda, já que o açúcar está em todos os produtos industrializados", disse o Corrêa.

INDICADOR DO AÇÚCAR CRISTAL ESALQ/BVMF - SANTOS  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$   US$/MT
26/03/2021 108,19 1,77% -0,98% 18,83   376,97
25/03/2021 106,31 -2,01% -2,70% 18,76   370,42
24/03/2021 108,49 0,39% -0,70% 19,33   378,01
23/03/2021 108,07 1,31% -1,09% 19,6   376,55
22/03/2021 106,67 0,62% -2,37% 19,35   Preço $/MT sem premio 
Nota: Reais por saca de 50 kg, com ICMS (7%) .        
  media R$ 107,55        
  valor saco $ 18,74        
  valor ton $ 374,72  porto santos - FAS - icmusa 130 - 180  
                          com 7% icms      

Outro fator que merece atenção são as posições líquidas compradas (long) pelos grandes fundos e especuladores no mercado do açúcar na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), que caíram para 198.687 contratos até 16 de março, sobre 213.767 posições da semana anterior, segundo a Commodity Futures Trading Comission (CFTC).

As casas comerciais, como indústrias, casas corretoras e comerciantes, estavam com uma posição líquida vendida (short) de 252.442 contratos. As posições não reportáveis, de pequenos especuladores e negociadores locais, em posição líquida comprada (long) eram de 53.755 contratos, segundo a CFTC.

Até o dia 23 de março, eram 1.048.979 contratos em aberto no mercado futuro do açúcar na ICE, com alta de 1.126 lotes na semana.

A penúltima sessão da semana foi marcada por recuo nos preços domésticos. O Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, caiu 2,01%, a R$ 106,31 a saca de 50 kg na quinta-feira (25).

› FONTE: Floripa News (www.floripanews.com.br)

Comentários