Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

Análise diaria mercado agricola milho soja açucar

Publicado em 20/10/2020 Editoria: AgroNews Comente!


CORN - MILHO 
 

Os preços internacionais do milho futuro também subiram nesta terça-feira na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram movimentações positivas entre 2,75 e 3,50 pontos ao final do dia.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho apresentaram tendência de alta moderada na terça-feira. A compra técnica empurrou os preços quase 1% para cima hoje, alimentada pelo otimismo de exportação e com a força de propagação do trigo emprestando suporte adicional. 

         
  miho  
         
    B3 (Bolsa)    
  nov/20 80,05 0,19%  
  jan/21 80,25 0,19%  
  mar/21 79,1 0,13%  
  mai/21 74,4 4,27%  
  Última atualização: 18:14 (20/10)  
     

Os preços futuros do milho operaram durante todo o dia em alta na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,19% e 4,40% por volta das 17h07 (horário de Brasília).

O vencimento novembro/20 era cotado à R$ 80,05 com ganho de 0,19%, o janeiro/21 valia R$ 80,28 com elevação de 0,22%, o março/21 era negociado por R$ 79,00 com estabilidade e o maio/21 tinha valor de R$ 74,49 com valorização de 4,40%.

A terça-feira (20) chega ao final com os preços do milho bem valorizados no mercado físico brasileiro. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, não foram percebidas desvalorizações em nenhuma das praças e atingindo R$ 80,00 /sc de 50kg no porto de Santos/SP.

INDICADOR DO MILHO ESALQ/BM&FBOVESPA (Mercado)  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
20/10/2020 73,33 2,57% 15,24% 13,1  
19/10/2020 71,49 1,09% 12,35% 12,76  
16/10/2020 70,72 0,60% 11,14% 12,53  
15/10/2020 70,3 1,11% 10,48% 12,53  
14/10/2020 69,53 0,64% 9,27% 12,41  

A pandemia fez disparar o consumo de muitos alimentos e o setor de rações está trabalhando em carga máxima. Como o milho é um dos principais ingredientes da ração, isso deixa a procura pelo cereal muito forte.

As indústrias neste mês de outubro estão correndo atrás de milho justamente para ter matéria prima para trabalhar esse restante de ano e algumas querendo grãos já para atender o mês de janeiro que estará escasso de oferta.

 

SUGAR - AÇUCAR
 

O prêmio do açúcar cristal brasileiro para exportação em contêineres despencou para o seu nível mais baixo desde que a S&P Global Platts começou a publicar esta avaliação, em 2014.

Em 19 de outubro, a Platts avaliou o açúcar cristal (icumsa 150) com o prêmio de US$ 30/t. Este valor se refere à diferença entre o preço do adoçante comercializado em contêineres que será enviado em novembro e o do contrato futuro de açúcar negociado na ICE, com vencimento em março. Conforme a Platts, houve uma queda semanal de US$ 4/t no indicador, além de um declínio de US$ 12/t na comparação anual.

Apesar das reduções, o preço do açúcar cristal está em uma trajetória ascendente desde 15 de setembro. O valor é calculado pela Platts considerando o contrato futuro negociado na ICE às 16h30 (horário de Londres).

Segundo a Platts, o preço do açúcar cristal brasileiro em 19 de outubro foi avaliado em US$ 353,418/t. Este é o maior valor desde 5 de março, quando a cotação era de US$ 358,242/t. Como referência, na mesma data, a Platts avaliou o prêmio do açúcar cristal em US$ 61,50/t.

INDICADOR DO AÇÚCAR CRISTAL ESALQ/BVMF - SANTOS
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
20/10/2020 94,52 1,97% 6,78% 16,89  
19/10/2020 92,69 1,07% 4,71% 16,54  
16/10/2020 91,71 0,27% 3,60% 16,25  
15/10/2020 91,46 0,69% 3,32% 16,3  
14/10/2020 90,83 0,45% 2,61% 16,21  
Nota: Reais por saca de 50 kg, com ICMS (7%) .      
  media R$ 92,24      
  valor saco $ 16,47      
  valor ton $ 329,44  porto santos - FAS - icmusa 130 - 180
                          com 7% icms  
           

A justificativa dada para boa parte da queda no prêmio foi de que esta seria uma resposta dos compradores finais, que estão tentando compensar parte do aumento no contrato futuro da ICE, o que os leva a reduzir os prêmios para entregas físicas.

Desde que o contrato futuro da ICE com vencimento outubro expirou, em 30 de setembro, o prêmio do açúcar branco caiu 10%, de US$ 87,16/t para US$ 78,46/t, em 19 de outubro.Agora, a expectativa é que um prêmio menor para o açúcar branco diminua a demanda do bruto nas refinarias e, também, o apetite de compra do cristal.

Em 19 de outubro, o prêmio do açúcar branco em reais foi de R$ 438,11/t, o que representa uma queda de 10,5% em relação a 30 de setembro, ou seja, exatamente a mesma variação percentual de quando se considera o dólar. Assim, na ausência de algum sinal de alta que poderia suportar a demanda do açúcar cristal brasileiro, os prêmios podem continuar a compensar o aumento visto nos contratos futuros da ICE, justamente com o objetivo de atrair demanda.


SOYBEAN - SOJA

 

A demanda pelo produto norte-americano permanece forte, com não só as vendas registrando números elevados, como também os embarques norte-americanos já mostrando um aumento de 77% em relação ao mesmo período do ano anterior. Do projetado para ser exportado, mais de 70% já foram vendidos. 

Números como estes e as perspectivas de que a demanda no mercado norte-americano continue subindo ainda são o principal combustível para o avanço dos preços da oleaginosa na Bolsa de Chicago, que continua. Somente em outubro, as altas acumuladas passam de 3%, principalmente nos vencimentos mais curtos. 

SOJA - CME - CHICAGO  
CONTRATO US$/bu Variação (cts/US$) Variação (%)  
nov/20 10,64 9,75 0,92  
jan/21 10,6375 9,75 0,93  
mar/21 10,53 10,75 1,03  
mai/21 10,4875 11,25 1,08  
Última atualização: 16:00 (20/10)    

De 1º a 19 de outubro, o contrato novembro/20 subiu 3,03%, passando de US$ 10,23 a US$ 10,54 por bushel. Já no maio/21, o ganho foi de 1,87%, com a posição saltando de US$ 10,18 para US$ 10,37 por bushel. Os contratos mais curtos sobem mais, justamente, refletindo esta força do consumo, em um momento onde a oferta é mais curta. E mesmo com a colheita norte-americana caminhando bem, registrando índices acima da média.

E hoje as altas fortes da soja no pregão seguiram, principalmente nos vencimentos mais distantes. O maio/21 terminou a sessão com US$ 10,48, subindo 11,25 pontos, e o julho/21 a US$ 10,49 por bushel, com ganho de 10,25 pontos. No novembro, foram 9,75 pontos de avanço, como no janeiro/21, que fecharam com US$ 10,64 e US$ 10,63, respectivamente.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou uma nova venda de soja de 132 mil toneladas para destinos não revelados.

    soja US$ 5,6  
           
    B3 (Bolsa)      
  CONTRATO US$/sc R$/sc VAR  
  nov/20 23,47 131,432 0,64%  
           
  Última atualização: 15:21 (20/10)  

Os preços da soja brasileira tiveram um novo dia de altas nesta terça-feira (20). O mercado voltou a registrar ganhos consideráveis, como em Campo Novo do Parecis/MT, de 2,67%, para R$ 154,00 por saca ou de 1,91% em São Gabriel do Oeste/MS, para R$ 160,00. 

Os preços da soja continuam subindo cerca de R$ 3,00/saca no estado do Rio Grande do Sul, segundo informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Em Canoas o preço também subiu R$ 3,00 para R$ 164,00 para pagamento em 06 de novembro. Em Ijuí e em Cruz Alta subiram três reais para R$ 165,00, para final de novembro e em Passo Fundo, atingiram R$ 167,00, para final de novembro. Em Santa Rosa, os preços subiram para R$ 165,00/saca. Soja futura, o preço permaneceu inalterado a R$ 137,00 entrega e pagamento em maio de 2021, o que equivale a R$ 131,00 no interior, no mercado de lote”, comenta. 

SOJA - PREMIO  
CONTRATO VALOR  
out/20 200  
nov/20 200  
fev/21 105  
mar/21 75  
Última atualização: 20/10/2020  
     

No Paraná, os preços da soja permaneceram inalterados. “No mercado de balcão o preço oferecido ao agricultor na região de Ponta Grossa manteve a alta do dia anterior a R$ 150,00. Na tabela nº 1 acima pode-se ver os preços para os produtores em outras praças. No mercado de lotes, para entrega em outubro o preço também manteve R$ 160,00/saca, em Ponta Grossa, pagamento meados de novembro. No interior dos Campos Gerais, porém, o preço continuou a R$ 160,00, retirada outubro, pagamento em novembro”, completa. 

               
Preço soja referência (chicago ):$/MT 464,44   20/out    
               
Preço Brasil - esalq - Paranaguá: $/MT 479,32   20/out    
               
Preço Brasil - MI - Paranaguá: $/MT 476,19   20/out    
PREÇO REFERÊNCIA FAS PARANAGUÁ NET.  Preço Brasil MI = R$ 160 por saca    

As cotações nacionais ainda encontram suporte na relação ajustada de oferta e demanda, demanda principalmente por parte das indústrias nacionais, que seguem buscando matéria-prima para concluírem suas atividades de processamento até o final do ano. 

O mercado especulava uma limitação do movimento de altas dos preços da soja no Brasil depois que o governo zerou a TEC (Tarifa Externa Comum) para o produto importado de países de fora do Mercosul. No entanto, esse impacto ainda não pôde ser observado, como já sinalizavam analistas e consultores, dada a oferta muito limitada no Brasil e no mundo, além das questões cambiais e logísticas. 

Mais do que isso, esses fundamentos também ajudam no suporte às altas mesmo diante de uma estabilidade do dólar frente ao real nesta terça. A moeda americana vinha recuando, mas passou a subir levemente no final da sessão e encerra o dia com R$ 5,61. 

INDICADOR DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA - PARANAGUÁ  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$ p
20/10/2020 161,05 1,99% 8,73% 28,77  
19/10/2020 157,91 -0,96% 6,61% 28,18  
16/10/2020 159,44 1,55% 7,64% 28,24  
15/10/2020 157,01 -0,41% 6,00% 27,98  
14/10/2020 157,66 -0,04% 6,44% 28,14  
           
           

O Brasil é o maior exportador de produtos halal do mundo e os negócios com países árabes são promissores e estão em franca expansão, conforme declarou o presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (19), durante a abertura do Fórum Econômico Brasil & Países Árabes.O início da safra 2020/21 também preocupa, limita os negócios e faz os sojicultores se concentrarem ainda mais nos trabalhos de campo. O risco climático é grande este ano em função do La Niña, há um atraso preocupante na semeadura e os traders também deverão acompanhar ainda mais esse desenvolvimento no Brasil para o andamento das cotações no mercado internacional. 

Atualmente maior demanda é de proteínas de frango e bovina, açúcar e minério. Mas diante da projeção de mais uma grande safra brasileira os grãos podem ganhar mais espaço nesse mercado. De janeiro a setembro de 2020, foram exportadas 11.7 milhões de toneladas para os países árabes. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) seguiram para aqueles países 7.3 milhões de toneladas de açúcar, 3.4 milhões de toneladas de milho, 954 mil toneladas de soja e 10 mil toneladas de arroz.

Entre os maiores países importadores aparecem Argélia (US$ 495 milhões), Arábia Saudita (US$ 299 milhões) e Marrocos (US$ 291 milhões) nas três primeiras posições. No milho o maior comprador foi o Egito, com US$ 278 milhões e mais de 1.7 milhão de toneladas. Na soja o campeão é a Argélia, com US$ 119 milhões e 352 mil toneladas da oleaginosa. No arroz a líder é a Arábia Saudita, com US$ 3 milhões e 6.3 mil toneladas.

Para exportar boa parte dos países árabes exigem a certificação halal que atende às exigências da jurisprudência islâmica como a proibição de qualquer incidência suína ou vestígio de álcool. A auditoria halal é realizada desde o plantio, colheita até armazenamento/beneficiamento, ou seja, são avaliados todos os processos que vão desde OMG (Organismos Geneticamente Modificados, mais conhecidos como transgênicos), insumos e lubrificantes, embalagem, armazenagem e transporte de acordo com a jurisprudência islâmica. 

 

 

 

 

› FONTE: Floripa News (www.floripanews.com.br)

Comentários