Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

Análise diaria mercado agricola milho soja açucar

Publicado em 15/09/2020 Editoria: AgroNews Comente!


MILHO - CORN

A China reduziu sua estimativa de produção doméstica de milho para o ano comercial de 2020/21, depois que tufões recentes causaram danos à safra em desenvolvimento do país e aumentaram as expectativas de aumento dos volumes de importação após novas compras de milho em larga escala dos EUA

A China deve importar entre 10 e 15 milhões de toneladas de milho ainda em 2020, buscando basicamente estes volumes nos Estados Unidos. Já para 2021, este montante deve crescer para 20 milhões e metade disso pode vir do mercado brasileiro..

       
miho  
       
  B3 (Bolsa)    
set/20 59,35 0,34%  
nov/20 59,2 0,08%  
jan/21 59,78 -0,05%  
mar/21 59,15 -1,42%  
   
Última atualização: 18:00 (15/09)  
       

De acordo com informações da Agência Reuters, o milho começa o dia caindo após o último relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) apontar a colheita do milho nos EUA em 5% do total cultivado, patamar acelerado com relação aos 3% do mesmo período do ano passado.

No Brasil, as cotações do milho na B3 voltaram a fechar em alta nesta terça-feira, pela terceira  vez consecutiva na B3 para setembro e novembro, o que significa que o mercado acredita mesmo na possibilidade de elevação dos preços a curto prazo. “Do lado negativo, além da pressão da reta final da colheita da Safrinha 2020,  a redução do volume das exportações pressiona as cotações, que estavam pesando sobre alguns setores como leite e ovo, o que puxa o preço CEPEA referência físico para o campo negativo fechando o dia a R$ 58,97/sc 50 kg.

INDICADOR DO MILHO ESALQ/BM&FBOVESPA (Mercado)  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
15/09/2020 58,97 -1,22% -3,72% 11,16  
14/09/2020 59,7 1,20% -2,53% 11,31  
11/09/2020 58,99 1,04% -3,69% 11,06  
10/09/2020 58,38 0,40% -4,69% 10,98  
09/09/2020 58,15 -0,84% -5,06% 10,99  

Em Santa Catarina, os consumidores de milho continuam se abastecendo principalmente do Mato Grosso do Sul. “Os preços do milho local permaneceram a R$63,00 no Alto Vale do Itajaí, subiram um real/saca para R$ 63,00 em Campos Novos e permaneceram a R$ 58,00 em Canoinhas e Chapecó. Em Concórdia e Joaçaba os preços permaneceram em R$ 64,00”,

 

SUGAR - AÇUCAR

Na contramão dos recentes aumentos nos preços das commodities, o açúcar recuou no patamar de preços, saindo de 13 para 11 centavos de dólar por libra-peso. A demanda voraz no início da pandemia do Covid-19 e a volatilidade do dólar explicam essa mudança drástica nos preços, que começam a entrar em estabilidade. O avanço da moagem no Brasil, que tem sido beneficiada pelo clima, além dos estoques, são fatores que devem manter os atuais patamares no mercado de açúcar.

Em âmbito internacional as atenções ficam voltadas para a produção na União Européia, que foi afetada por pragas e também na Índia, que mantém subsídios para o açúcar.

INDICADOR DO AÇÚCAR CRISTAL ESALQ/BVMF - SANTOS  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$    
15/09/2020 86,43 0,70% 1,53% 16,35    
14/09/2020 85,83 -0,20% 0,82% 16,26    
11/09/2020 86 0,56% 1,02% 16,12    
10/09/2020 85,52 -1,25% 0,46% 16,09    
09/09/2020 86,6 0,96% 1,73% 16,37    
Nota: Reais por saca de 50 kg, com ICMS (7%) .        
  media R$ 86,08        
  valor saco $ 16,27        
  valor ton $ 325,49  porto santos - FAS - icmusa 130 - 180  
                          com 7% icms    
             

Os preços do açúcar cristal seguem relativamente firmes no estado de São Paulo, enquanto os valores internacionais, enfraquecidos. Esse cenário, por sua vez, resultou em aumento – para aproximadamente 10 Reais/saca de 50 kg – da vantagem dos preços do mercado doméstico sobre o equivalente que seria o valor das exportações, segundo cálculos do Cepea.

No geral, mesmo com o tempo seco no estado de São Paulo favorecendo a colheita de cana e a produção de açúcar, os preços seguem firmes. No mercado internacional, a pressão vem da elevada produção brasileira.

 

SOJA - SOYBEAN

O mercado da soja passa por uma ligeira correção no início da tarde desta terça-feira (15) na Bolsa de Chicago, depois de bater nos US$ 10,00 por bushel e de subir por 13 pregões consecutivos. Por volta de 12h20 (horário de Brasília), as cotações recuavam entre 3 e 6,25 pontos nos principais vencimentos, levando o janeiro a US$ 9,97 e o maio/21 a US$ 9,98 por bushel.  O mercado encerrou o dia realizando lucro,  mas ainda bem próximos do patamar dos US$ 10,00 por bushel.

Os fundamentos seguem positivos para os preços, bem como o posicionamento dos fundos, no entanto, a correção já vinha esperada diante das fortes e consecutivas altas das útlimas semanas. Os preços estão nos mais elevados patamares desde 2018. Ainda assim, segue o foco sobre as questões climáticas - nos EUA e no Brasil - e sobre a demanda, que trouxe boas novas nesta terça. 

SOJA - CME - CHICAGO  
CONTRATO US$/bu Variação (cts/US$) Variação (%)  
nov/20 9,915 -8 -0,8  
jan/21 9,9575 -7,5 -0,75  
mar/21 9,96 -6 -0,6  
mai/21 9,98 -4 -  
Última atualização: 16:01 (15/09)    

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou a venda de 264 mil toneladas de soja e 120 mil toneladas de milho nesta terça-feira. Do total da soja, todo volume é da safra 2020/21, sendo 132 mil toneladas para destinos não revelados e 132 mil para a China. Desde julho, segundo explica a Agrinvest Commodities, o USDA já informa um acumulado de vendas de 11,42 milhões de toneladas de soja e 10,72 milhões de toneladas de milho. 

Os traders seguem refletindo as preocupações com o clima nos EUA e a conclusão da safra norte-americana e também a força da demanda pelos grãos do país.

Os embarques norte-americanos de soja são fortes e já superam em 49% o mesmo período do ano anterior.

SOJA - PREMIO  
CONTRATO VALOR  
set/20 165  
out/20 165  
nov/20 170  
mar/21 58  
Última atualização: 15/09/2020  

De acordo com dados de vendas de exportação do USDA, entidades estatais e privadas chinesas contrataram um volume de 20,3 milhões de toneladas no início do ano comercial de 2020/21 na primeira semana de setembro. Isso se comparado com uma média de três anos de 11,2 milhões de toneladas no início do ano comercial antes do início da guerra comercial e um recorde anterior de 14,2 milhões de tons em 2016

No porto chinês de Dallian a soja recuou para US$ 655,99 contra US$ 680,08 do dia anterior; o farelo de soja recuou para US$ 430,52, como os US$ 438,90 do dia anterior e o óleo de soja avançou para US$ 1014,98 como os US$ 992,24 do dia anterior”

Em Rotterdam, o principal porto não-China de demanda de soja e subprodutos, o preço do primeiro mês cotado da soja-grão avançou para US$ 425,40/t contra os US$ 421,20/t do dia anterior; o pellets de soja avançou para US$ 431,00 como os US$ 424,00 do dia anterior, afloat.

  soja US$ 5,289  
         
  B3 (Bolsa)      
CONTRATO US$/sc R$/sc VAR  
nov/20 21,89 115,77621 1,71%  
         
Última atualização: 15:21 (15/09)  

O clima no Brasil também tem trazido muitos alertas ao mercado internacional. O início da safra no país enfrenta a falta de chuvas em algumas regiões e também alimenta, principalmente com a possibilidade de um La Niña, a recuperação das cotações em Chicago que estão em suas máximas desde 2018

O relatório semanal do IMEA (Brasil) registra que a demanda está aquecida no mercado interno: segundo levantamento realizado pelo Imea, o volume de soja esmagado em ago/20 foi de 827,40 mil toneladas, valor 16,14% superior ao registrado em ago/19.

               
Preço soja referência (chicago ):$/MT 424,94   15/set    
               
Preço Brasil - esalq - Paranaguá: $/MT 431,65   15/set    
               
Preço Brasil - MI - Paranaguá: $/MT 441,17   15/set    
PREÇO REFERÊNCIA FAS PARANAGUÁ NET.  Preço Brasil MI = R$ 140 por saca    
               

As altas chegaram até 2,36%, para alcançar os R$ 130,00 em Ponta Grossa, no Paraná; em Brasília/DF, o avanço foi de 3,05% para R$ 135,00 por saca. Nos portos, os preços continuam acima dos R$ 135,00 nas principais referências para a soja disponível. Para a nova safra são referências acima dos R$ 120,00 como no terminal de Santos, onde o valor da saca ficou em R$ 124,00, com alta de 1,64%. 

Os preços têm acompanhado o cenário interno de oferta e demanda, que é bastante ajustado, e por isso se mostra cada vez mais regionalizado. Em São Gabriel do Oeste/MS, o valor subiu 3,85% para fechar com R$ 135,00 por saca, ou Luís Eduardo Magalhães/BA, com alta de 0,41% para R$ 121,50. Os indicativos são recordes e permanecem fortemente sustentados. 

Os negócios, porém, são apenas limitados. O mercado já registra um elevado volume comercializado e, diante das atuais preocupações climáticas, se atém mais aos trabalhos de campo neste momento. 

Mato Grosso e Mato Grosso do Sul:  É nestes dois estados que termina o vazio sanitário da soja neste 15 de setembro. As perspectivas são de boas safras para ambos, porém, a preocupação é maior neste início dos trabalhos de campo dada a falta de chuvas. As previsões deste começo de semana são um pouco melhores para o Brasil Central, mas continuam indicando a chegada de melhores precipitações apenas no final do mês.

O plantio da oleaginosa tem ser feito até 25 de outubro para garantir, principalmente, a janela ideal para o milho safrinha. A Aprosoja MS estima um aumento de 7% de área - chegando a 3,6 milhões de hectares - todavia, espera ainda uma média menor de produtividade.

INDICADOR DA SOJA ESALQ/BM&FBOVESPA - PARANAGUÁ  
  VALOR R$ VAR./DIA VAR./MÊS VALOR US$  
15/09/2020 136,98 0,48% -0,57% 25,91  
14/09/2020 136,33 -0,78% -1,04% 25,83  
11/09/2020 137,4 1,16% -0,26% 25,76  
10/09/2020 135,83 -0,62% -1,40% 25,55  
09/09/2020 136,68 1,12% -0,78% 25,84  
           

Uma nova safra brasileira está prestes a começar e alguns pontos de alerta já pairam no radar. O padrão climático para o Centro do Brasil continua seco para os próximos 10 dias, seguindo a Normal Climatológica e sem surpresas", explica o diretor da ARC Mercosul, Matheus Pereira. "Já para o Sul do país, as chuvas começam a chegar até o dia 21 de setembro. Índices pluviométricos entre 6 e 20mm acumulados são esperados para o sul de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Para a maioria dos estados beneficiados, a rodada de chuvas só servirá como repositor hídrico. Assim, ainda será necessário aguardar mais alguns dias/semanas para adequar um bom período de plantio", completa.

› FONTE: Floripa News (www.floripanews.com.br)

Comentários