Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS

A Missão do Advogado

Publicado em 24/10/2017 Editoria: Artigos Comente!


Cláudio Gastão da Rosa Filho

Cláudio Gastão da Rosa Filho

Acho que tenho TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). TOC por novas edições de livros clássicos. Gosto de ler os novos prefácios, ver a nova diagramação, etc. Já li inúmeras vezes o pequeno grande livro de Francesco Carnelutti “As Misérias do Processo Penal”, que inclusive pode ser encontrado em pdf na internet, mas esse final de semana ao entrar numa livraria com minha esposa e ver uma nova publicação, não resisti: comprei e reli de um só fôlego as pedagógicas orientações e constatações do mestre italiano.

Essa é uma obra que deve ser lida pelo estudante e meditada pelos profissionais que por certo se identificarão em muitas passagens. Eu mesmo posso citar várias correlatas com meu dia a dia.

  

Carlenutti conta que ganhou um quadro de um discípulo que posteriormente se tornara um dos advogados mais famosos de Roma na ocasião em que deixara a cátedra de Milão. A figura retratava as mãos de um encarcerado presas nas algemas. Uma das mãos, à esquerda, tombada para baixo, inerte, em ato de desalento; a outra, sobreposta, volve a palma para o alto, como aquela do pobre que pede a caridade. Há toda a psicologia do encarcerado naquele pequeno quadro.

Semana passada eu também recebi um quadro de presente de uma querida cliente. Era uma pintura que pertencia à família dela há anos, de grande valor sentimental. Na imagem aparece um homem no campo, sentado, olhando para o horizonte tendo a sua frente uma árvore horrorosa.

Ao ver que olhei sem graça para o presente sem entender bem o significado, ela me explicou: “Dr. Gastão, queria lhe dar algo para demonstrar minha gratidão. Esse quadro mostra um homem que mesmo mirando coisas feias consegue enxergar algo de belo, igual ao que o senhor conseguiu fazer comigo”.

Nos abraçamos e chorei. Chorei ao relembrar o calvário daquela pobre mulher, a turbulência emocional pela qual passou ao enfrentar um processo extremamente injusto.
Não consegui agradecer. Talvez por isso tenha comprado mais uma edição do Carnelutti, pois meu inconsciente deve ter linkado as lições contidas na obra e gravadas nos escaninhos de meu coração desde a primeira leitura nos bancos universitários com a missão do advogado de comungar com o réu a eucaristia da dor, e buscar se não uma absolvição pelo menos que o juiz não se descure da advertência bíblica de que “a punição não pode ser maior do que o pecado”.

Cláudio Gastão da Rosa Filho é advogado criminalista, professor e membro efetivo do Instituto dos Advogados de Santa Catarina (IASC). 

› FONTE: Floripa News (www.floripanews.com.br)

Comentários