Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Bondeconomia - Por Fernando Bond

Bondeconomia Por Fernando Bond

Bondeconomia - Por Fernando Bond

SALOMÃO RIBAS JR., UM DOS “PENSADORES” DE SC, VOLTA À ATIVA PARA APRENDER E ENSINAR

Publicado em 12/03/2018 Comente!


Ele tem uma contribuição ímpar à economia e ao desenvolvimento social de SC.  Dirigiu cinco secretarias de Estado, passou pela Consultoria Geral e também pela Codesc. Assessorou relatores na elaboração de duas constituições brasileiras. Foi conselheiro e presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina e, mesmo não exercendo a advocacia – sua formação, com doutorado na Universidade de Salamanca, Espanha -, sempre operou o Direito Constitucional e Administrativo. Multifacetado, aposentou-se, deixou a vida pública, mas continua na ativa. Homem das letras, Salomão Ribas Jr. traz na veia e no currículo o jornalismo (com forte atuação na Casa do Jornalista) e a literatura – são oito livros publicados. E, inquieto, aos 72 anos, volta à advocacia como sócio do escritório Menezes Niebuhr Advogados Associados.  

O senhor é advogado, jornalista e escritor ­­-  presidente da Academia Catarinense de Letras – e teve uma carreira como poucos na administração pública. Como foi construir essa história?

Salomão - Tive sorte. Sempre convivi com pessoas boas que me ajudaram. Acho que também estava no lugar certo na hora certa.  Para quem começou a trabalhar como aprendiz de serralheiro no chão de fábrica fui bastante longe. Segui conselhos de meu pai. Estar atento ao que diz a lei. Nunca esquecer o juramento que se faz ao assumir cargo público de “cumprir e fazer cumprir a Constituição e as leis do País e do Estado”. É simples, mas não é fácil. Enfrentei muitas incompreensões. Os meus inimigos dizem que fui um administrador rigoroso demais, sem jogo de cintura. Na presidência do Tribunal de Contas não foi diferente. Por esse trabalho, presidi a Associação Nacional dos Tribunais de Contas. 

O senhor se aposentou em 2014. O que foi que o trouxe de volta à advocacia?

 Salomão - O cargo de Conselheiro do Tribunal é incompatível com o exercício da advocacia, o que me levou ao desligamento da OAB até me aposentar. Nunca me afastei, contudo, do Direito. Tanto é que presido o Instituto do Direito Administrativo de SC. Dei aula sobre instituições de direito público na ESAG. Na Assembleia fui vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça. No segundo mandato presidi a Comissão de Sistematização da Assembleia Estadual Constituinte. Assessorei o relator-geral e relator adjunto Konder Reis na elaboração de duas constituições brasileiras, de 1967 e de 1988.  E no Tribunal de Contas operei o direito constitucional e o administrativo o tempo todo.

Hoje o senhor compõe o quadro societário de um dos maiores escritórios de advocacia do Sul do Brasil.  Como é o seu trabalho?

Salomão - Estou naturalmente sendo requisitado para integrar núcleos ligados ao Direito Administrativo ou Constitucional. São os primeiros casos em que estou atuando. O Menezes Niebuhr, de fato, é um escritório de primeira linha e conta com excelentes profissionais liderados pelo advogado Joel Niebuhr, nome de projeção nacional. Sinto-me preocupado em corresponder às eventuais expectativas. Todos me receberam com muita atenção e muitos com um certo carinho. Tento acompanhar o ritmo que é especial nesse grupo. O que impressiona também é a facilidade com que manejam a tecnologia a serviço da rapidez processual e na pesquisa. Aqui, recebi também a incumbência de presidir o Instituto Menezes Niebuhr, uma entidade de estudos e pesquisas e de cooperação acadêmica em fase de constituição.  

PARA MÉDIOS

FOTO ARMONA E RAVELLO

CRÉDITO: DIVULGAÇÃO BFABBRIANI

A aplicação de princípios de sustentabilidade em empreendimentos imobiliários auxilia na redução dos impactos ambientais e, de quebra, proporciona economia financeira. Essa tendência, mais atrelada ao mercado de alto padrão, por vezes é uma realidade que deixa de ser compartilhada em construções de médio porte, seja por questões econômicas ou até mesmo culturais. Porém, um exemplo de construtora que enxerga esse mercado em potencial é a BFabbriani Incorporadora. Com dois empreendimentos em construção em Itapema, o Armona e o Ravello, a empresa tem colocado em prática os princípios de sustentabilidade para oferecer aos clientes opções de ‘edifícios verdes’, inclusive no médio padrão.  

IMPRESCINDÍVEL 

O proprietário da construtora, Bruno Fabbriani, diz que o impacto ambiental tende a ser ainda maior quando se trata de projetos intermediários. “Esses produtos estão presentes em maior número e abrangem uma quantidade superior de famílias. Por isso, promover a sustentabilidade nesta faixa, além de devolver, de certa forma, o impacto que a construção civil gera ao meio ambiente, ajuda o cliente a economizar. Abordar a sustentabilidade no alto padrão é sensacional, mas incluir um conjunto de ações sustentáveis no médio é imprescindível”, explica.  

VOLVO RACE

Na última coluna, a gente falou sobre os projetos educacionais da Volvo Race que vão beneficiar 10 estudantes de Itajaí e região. Agora vamos falar de retorno econômico: a competição mundial de veleiros que chega em abril a SC deve atrair 400 mil pessoas (na edição anterior foram de 325 mil) e movimentar pelo menos R$ 82 milhões nos 18 dias de evento, gerando 2 mil empregos diretos. Para receber toda essa gente, Itajaí dobrou sua capacidade hoteleira – com a chegada de redes internacionais e também a ampliação de leitos por parte dos empreendedores tradicionais. É bom lembrar que o investimento feito para promover o evento é de R$ 12 milhões.  

Ypy no Verão

FOTO YPY SORVETES

CRÉDITO: RAFAELA MARTINS

As temperaturas elevadas deste Verão aqueceram as vendas da Ypy Sorvetes Premium: a meta de chegar aos 1.000 pontos de vendas (PDVs) foi superada antes mesmo da estação chegar ao fim. A Ypy fecha o mês de fevereiro com 1.046 PDVs nos três estados do Sul. É nessa onda de calor que a Ypy enxerga um mercado em ascensão e aposta no crescimento e na conquista de novos parceiros. Até na tradicionalmente fria Curitiba faz sucesso. Por lá, conquistou espaço na rede Angeloni, nas lojas do Batel, e Água Verde. Em SC, a mesma rede de supermercados está batendo recordes de vendas. No Rio Grande do Sul, chegou às seis lojas da Farmácia Panvel, ao Colégio Anchieta, e também aos nove restaurantes da Rede Petiskeira de Porto Alegre – mais dois em Canoas. “O trabalho segue a todo vapor, a primeira meta de 2018 já foi batida, mas o foco é crescer sempre mais”, diz o novo gerente comercial João Batista de Castro Flores, que assumiu a área em janeiro.  

DENTISTAS

FOTO: CLINICORP

CRÉDITO: DIVULGAÇÃO CLINICORP

Hoje é difícil imaginar um lugar onde não se possa pagar uma conta com cartão de crédito ou onde sistemas não organizam toda a parte financeira. Porém, no universo das clínicas odontológicas nem sempre é assim. Mudando esse cenário, a equipe (foto) da startup Clinicorp, atualmente em processo de aceleração na Spin, de Jaraguá do Sul, já atende profissionais em 21 estados brasileiros com um crescimento na base de clientes de 25% ao mês. Para facilitar ainda mais, a Clinicorp firmou uma parceria com a startup Belluno Pagamentos, também de Jaraguá do Sul. Dessa forma, os dentistas terão acesso à máquina de cartões exclusiva ‘Clinicorp powered by Belluno’, que será totalmente integrada ao sistema.  

 

 

Comentários

Bondeconomia

Por Fernando Bond

Agenda

+ eventos