Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Bondeconomia - Por Fernando Bond

Bondeconomia Por Fernando Bond

Bondeconomia - Por Fernando Bond

MOMENTO DA ECONOMIA DE SC EXIGE QUE ELEITOR DOBRE RESPONSABILIDADE NA URNA

Publicado em 05/03/2018 Comente!


Os números da economia catarinense são muito expressivos e levam o estado a um momento histórico: o PIB cresceu 4,2%, enquanto o país teve apenas 1% depois de quase três anos de recessão. Há um otimismo generalizado nos setores produtivos. Por exemplo: o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) registrou 62,5 pontos em fevereiro. O resultado - 1,4 ponto acima do observado em janeiro - é o maior valor do indicador desde junho de 2010 e está acima do índice nacional no período (58,8 pontos), revela pesquisa da Federação das Indústrias. Porém, esse otimismo todo corre sérios riscos de virar frustração. O país deu vexame internacional ao não conseguir sequer votar uma reforma da previdência que chegaria ao plenário toda esfacelada. “O adiamento temporário dessa reforma não afetou as expectativas de curto prazo, mas para sustentar o crescimento no longo prazo, a agenda de reformas precisa ser mantida”, alerta o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte. O sinal de alerta está ligado porque as candidaturas populistas, sem qualquer compromisso com essas reformas, continuam a liderar as pesquisas. Por isso a importância de ações como o lançamento estadual do Movimento Brasil 200, esta semana em Jaraguá do Sul. O convidado especial é o líder da iniciativa no país, o empresário Flávio Rocha (Grupo Riachuelo), a convite das associações empresariais de Jaraguá (Acijs), Joinville (Acij) e Blumenau (Acib).

VOLVO RACE NAVEGA PELA EDUCAÇÃO

FOTO VOLVO RACE

CRÉDITO:  BALNEÁRIO CAMBORIÚ CONVENTION & VISITORS BUREAU

 

 

Quem pensa que a Volvo Race - a mais antiga e conhecida regata em torno do mundo – que chega a Itajaí em abril - é apenas mar e náutica precisa, como eu, aprender mais um pouco sobre este evento internacional. Nesta edição 2017/2018, os veleiros estão navegando por quatro oceanos e vão para em 11 cidades em cinco continentes, num total de 45 mil milhas náuticas. Dias atrás os barcos chegaram a Auckland, Nova Zelândia, vindos de Hong Kong, China, e agora rumam para Santa Catarina, onde na edição anterior o evento movimentou R$ 61 milhões. Mas não é só isso que o estado ganha: já começaram em Itajaí as 15 ações educacionais nas escolas com foco na sustentabilidade, preservação ambiental e o cuidado com os oceanos. Serão envolvidos cerca de 10 mil estudantes e também adultos que já estão no mercado de trabalho.  A partir de agora serão realizadas apresentações teatrais sobre preservação da natureza e educação sustentável para as turmas do ensino fundamental e ensino Médio das escolas municipais. “Queremos que estes alunos levem para casa a informação sobre a preservação. Nosso objetivo é que as crianças engajem toda a família para este cuidado ambiental”, explica o presidente da Itajaí Stopover (entidade responsável pela Volvo Race aqui), Evandro Neiva, também secretário de Turismo local. E as práticas educacionais propostas ganharão ainda mais força com a abertura da Vila da Regata em Itajaí. Entre os dias 9 e 20 de abril, os alunos da rede municipal participarão de um tour diário de experiências práticas e visitas guiadas pelas atividades educativas instaladas no local. As visitas não serão restritas às escolas da cidade. Municípios vizinhos que tiverem interesse podem fazer um cadastro com a Secretaria de Turismo de Itajaí.

FOTOVOLTAICA                                                                                                                                

Isenção do ICMS da energia pelo sistema de compensação – mediante o uso de energia fotovoltaica – está sendo reivindicada pela Federação da Agricultura (Faesc) junto à Secretaria da Fazenda e Governo do Estado. Há uma Resolução Normativa da Aneel que estabelece as regras para esse sistema de compensação de energia ou de créditos de energia. Ela permite fazer troca de energia com a rede elétrica. No entanto, em 2015, o Conselho Nacional da Política Fazendária (Confaz) revogou o convênio que orientava a tributação da energia na rede. A partir de então, cada estado passou a decidir se tributa ou não a energia solar que é injetada na rede da distribuidora. A maioria dos estados aderiu ao Convênio ICMS 16/2015 e isentou do imposto a energia obtida pelo sistema de compensação.

INSENÇÃO AQUI                                                                                                                                                    

O presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo, reivindica que também em SC Catarina seja concedida a isenção do ICMS incidente sobre a energia elétrica fornecida pela distribuidora à unidade consumidora, na quantidade correspondente à soma da energia elétrica injetada na rede de distribuição pela mesma unidade consumidora. Pedrozo avalia que essa medida auxilia fortemente para melhorar o retorno sobre os investimentos nos sistemas de geração distribuída, pois o excedente produzido que foi entregue gratuitamente à concessionária responsável pode ser compensado com a isenção do ICMS.

CONFIRMAÇÃO  

Ainda sobre a Faesc: a entidade comemora a constitucionalidade da maioria dos artigos do novo Código Florestal, definido na semana passada pelo STF. A lei, sancionada em 2012, estabelece normas gerais acerca da exploração de áreas de proteção ambiental em todo o território brasileiro. A validade havia sido questionada em 2013 e após incessante acompanhamento da Confederação da Agricultura (CNA) o resultado foi favorável aos produtores rurais. “Entre os benefícios aos agricultores podemos destacar a segurança jurídica que dará tranquilidade para que possamos produzir de maneira eficiente e preservada”, afirma José Zeferino Pedrozo.

Boa acolhida

Um modelo de turismo de experiência está dando excelentes resultados na região Norte. Pequenas propriedades rurais de Rio Negrinho estão se tornando lugares focados nesse tipo de turismo, em que os visitantes são geralmente recepcionados pelos próprios proprietários, com apertos de mão e muito carinho. Para profissionalizar este trabalho, vem sendo desenvolvido na cidade o projeto Acolhida na Colônia, para dar suporte necessário aos empreendedores. Numa avaliação técnica feita no Café Colonial de Vera Zeithammer, que há 16 anos já recebe a comunidade e turistas em sua propriedade na região da Estância Colonial. A técnica do programa Lucilene Assing e o agrônomo da Epagri Victor Lehmkuhl explicaram que o projeto é originário da França, e por isso deve seguir uma série de regras e normas padrões para utilização do selo.

 

AMPLIANDO

Além de Rio Negrinho, o projeto Acolhida na Colônia está chegando a cidades como São Bento do Sul, Campo Alegre e Corupá, integrando os planos municipais e regional de turismo que é desenvolvido pelo Consórcio Intermunicipal Quiriri. De acordo com o levantamento do projeto, Rio Negrinho tem 10 propriedades interessadas no Acolhida, São Bento do Sul oito, Corupá quatro e Campo Alegre tem 28.

 

GOOGLE

A primeira escola de SC a ser certificada como referência pelo Google é a unidade do Senai em Tubarão. Desde 2016, a escola desenvolve projeto que visa estimular práticas modernas de aprendizagem e tornar a sala de aula mais atrativa. Por meio do projeto, vários recursos do Google são oferecidos aos alunos e professores. Além das tradicionais ferramentas disponíveis a qualquer usuário, o Google for Education oferece aplicativo voltado à gestão da sala de aula, o Google Classroom. Com a parceria da empresa com o Movimento Santa Catarina pela Educação mais de 330 docentes foram capacitados para utilizar as ferramentas em todo o estado.

Comentários

Bondeconomia

Por Fernando Bond

Agenda

+ eventos