Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Bondeconomia - Por Fernando Bond

Bondeconomia Por Fernando Bond

Bondeconomia - Por Fernando Bond

EMPRESÁRIOS BANCAM O PROJETO PARA ‘ENGORDAR’ PRAIA DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Publicado em 26/02/2018 Comente!


Muito entusiasmado com os resultados da temporada até aqui, o empresário Júlio Tedesco – Personalidade de Turismo e prêmio Empreendimento Turístico de 2017 – está cheio de planos para ampliar a capacidade de recepção e também as atrações para os turistas em Balneário Camboriú. Em plena forma aos 70 anos, ele nem parece que já tem uma agenda abarrotada de compromissos por conta dos vários empreendimentos na cidade, como o Parque Unipraias, Marina Tedesco, Teleférico, Barco Pirata, Atracadouro Barra Sul e com a holding da empresa, a Primo Tedesco, fabricante de papel e celulose, com unidades em Caçador e no RS. Em entrevista à coluna na Marina, o empresário conta que agora está focado no projeto de alargamento da praia, no qual está investindo com um grupo de empresários locais e apoio do prefeito Fabrício Oliveira. “Dos atuais 25 a 30 metros de faixa de areia, vamos fazer um ‘engordamento’ para 75 metros”, projeta Tedesco.  Ele explica que “a areia vai ser transportada de uma jazida que fica a 12 quilômetros da orla” e deve ser uma obra rápida – apenas 6 meses – que agora entra na fase burocrática, o licenciamento ambiental. Enquanto isso, a prefeitura busca o financiamento de R$ 125 milhões. Mas o grande facilitador é o fato de que o prefeito conseguiu assumir a gestão da orla – antes federal - em agosto do ano passado, quando assinou um termo de adesão junto à Secretaria de Patrimônio da União (SPU).  Quem vê o projeto fica encantado: além dos 75 metros de areia, que vão acabar com as reclamações de turistas e moradores por causa da sombra feita pelos arranha-céus da Avenida Atlântica no final da tarde, serão criados dois bolsões, um de 80 mil metros quadrados na Barra Sul, e outro de 40 mil na Barra Norte, para área de lazer e esporte. E ao longo da via, quiosques, bares, banheiros e outros equipamentos.  “Vamos dar fim à fama de que Balneário Camboriú é a cidade onde tudo foi feito errado e deu tudo certo. Vai ser a cidade em que deu tudo certo porque fizemos tudo certo”, brinca o empresário. 

META É DOBRAR NÚMERO DE NAVIOS

FOTO SOVERENIG BALNEÁRIO CAMBORIÚ

CRÉDITO: FERNANDO BOND

“A primeira temporada de navios de cruzeiro foi sucesso absoluto”, diz Julio Tedesco, colhendo os resultados do trabalho que começou com a construção do Atracadouro Barra Sul e a chegada do primeiro navio de cruzeiro à cidade, o MSC Preziosa, em abril de 2017. No dia da entrevista à coluna, o transatlântico que estava atracado era o Sovereing (foto), da Pullmann, que fez a 15ª escala desde o início da temporada, dia 21 de novembro. “Agora só faltam mais cinco escalas até 7 de abril, para completarmos as 20 previstas, com 80 mil passageiros desembarcando na cidade”. É um resultado excelente, já que os especialistas calculam que cada turista de navio deixa cerca de R$ 500 na cidade – ou seja, algo como R$ 40 milhões ao final da temporada. Outro dado importante é que a média de passageiros e tripulantes que desembarcam chega a 90%, número muito superior aos de outras escalas. Tedesco acredita que um dos fatores que contribuem para isso – além das atrações da cidade e da região – é a inovação feita por sua empresa: o desembarque pelo Barco Pirata, com muito mais capacidade do que os ‘tenders” utilizados pelas companhias MSC, Costa Cruzeiros e Pullmantur. “E o melhor é que a festa já começa no barco”, comemora Júlio Tedesco. Com tudo isso, a meta é dobrar o número de escalas na próxima temporada.  

SEBRAE AVALIZA                                                                                                                                            

O Sebrae e o BRDE assinaram convênio para dar garantias de crédito aos pequenos negócios junto às linhas de financiamento banco. O banco vai conceder R$ 92,1 milhões com o aval do Sebrae. O Fundo de Aval para Micro e Pequenas Empresas (Fampe) pode garantir até 80% do financiamento, cujo limite varia conforme o porte empresarial (MEI, ME e EPP) e a modalidade de crédito. A parceria, destinada às micro e pequenas empresas dos estados da Região Sul, visa atender 307 companhias, garantindo R$ 73,7 milhões em aval e R$ 92 milhões em financiamentos. “Hoje, temos 145 operações em atividade junto ao BRDE, com mais de R$ 65 milhões em garantias e empréstimos. É um volume significativo, que serve de incentivo para sanar a principal dificuldade que os pequenos negócios têm de acesso ao crédito, que é a falta de garantia. Por isso, parcerias como esta são tão importantes. O aval dá suporte para os empresários que mais geram emprego no país”, explica a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes. 

PARCERIA                                                                                                                                                

 Para esse convênio BRDE/Sebrae serão reservados R$ 6,14 milhões do Fampe. Desde 1996, as duas instituições mantêm histórico de parceria, com 565.589 operações - R$ 70,2 milhões em financiamentos e R$ 28 milhões em aval pelo fundo do Sebrae, sendo 10% destinados à inovação.

FALANDO NISSO

"O BRDE oferece termos de taxa e prazo favoráveis, e o Sebrae, com o Fampe, vem em favor deste empreendedor vencedor para amenizar parte da exigência de garantias. Esses financiamentos vão gerar empregos, impostos e riqueza"

Orlando Pessuti, presidente do BRDE 

COMO FAZER                                                                                                                                               

Os donos de pequenos negócios interessados em acessar o crédito BRDE/Sebrae podem buscar orientação no site www.brde.com.br e nos pontos de atendimento da instituição. Há informações relevantes também no site www.sebrae.com.br/fampe.  

E as pessoas?

FOTO LÁZARO MALTA AHGORA

CRÉDITO: Ro7 FOTOGRAFIA

Cuidar das pessoas é um dos maiores desafios do setor de Recursos Humanos. Há muitos processos burocráticos, como folha de pagamento, cálculos de horas extras e férias e contratações que tomam boa parte do tempo desses profissionais. "A tecnologia facilita as atividades desses profissionais, porque permite reduzir o tempo gasto com processos burocráticos e manuais. Desta forma, o setor sai da ‘administrivialidade’ para uma atuação mais estratégica dentro da companhia", explica Lázaro Malta (foto), CEO e fundador da Ahgora Sistemas, especializada em gestão de presença, ponto e acesso. A empresa oferece ao mercado aplicações ‘multiplataforma’ para a batida de ponto dos colaboradores, o que possibilita utilizar registrador eletrônico de ponto, relógio de ponto, smartphones ou tablets. Isso permite às empresas gerir de forma flexível os colaboradores da instituição, seja presencial, em teletrabalho, home office, trabalho externo ou em qualquer outra situação.  

FACILITANDO

A Ahgora fornece também equipamentos como catracas, controladores de porta e totens, tudo integrado aos sistemas, para um controle eficiente do fluxo de pessoas na instituição. Um dos últimos recursos tecnológicos lançados pela empresa é o reconhecimento facial, feito por meio de um aplicativo que utiliza uma câmera de celular. A empresa tem escritórios em Florianópolis, São Paulo e Manaus, bem como operações com equipe própria no Rio de Janeiro, Recife, Brasília e Belo Horizonte. São mais de 2.500 empresas parceiras, cerca de 800 mil colaboradores gerenciados e mais de 64 milhões de marcações ponto por mês.


 

 

Comentários

Bondeconomia

Por Fernando Bond

Agenda

+ eventos