Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Bondeconomia - Por Fernando Bond

Bondeconomia Por Fernando Bond

Bondeconomia - Por Fernando Bond

PRESIDENTE DA EMBRATUR DIZ QUE FEMUSC É MODELO PARA O TURISMO CULTURAL

Publicado em 15/01/2018 Comente!

Presidente da Embratur, o catarinense Vinicius Lummertz

Presidente da Embratur, o catarinense Vinicius Lummertz

O presidente da Embratur, o catarinense Vinicius Lummertz, afirma que o Festival de Música de Santa Catarina (Femusc), cuja 12ª edição começou domingo em Jaraguá do Sul, “é um modelo e um exemplo de turismo cultural não só para o nosso estado mas também para o Brasil”. Lummertz lembra que o Femusc faz parte de uma estratégia de ações de descentralização que marcaram o Governo Luiz Henrique, do qual o atual presidente da Embratur fez parte ativa durante oito anos. “Como o Femusc, o Festival de Dança de Joinville faz parte dessa estratégia, que foi aliada à implantação da Escola de Balé Bolshoi também na região Norte. Vejam que a também Pomerode desenvolve um calendário anual importante, a começar em janeiro pela Festa Pomerana, que se realiza agora no mesmo período do Fesmusc, possibilitando ao turista participar de dois eventos numa só viagem”. O presidente da Embratur – que é uma das lideranças na luta pela implantação de um calendário de eventos anuais para o litoral, hoje muito restrito à temporada de Verão – diz também que no Interior esse calendário já é uma realidade, dando como exemplo a cinquentenária Efapi, em Chapecó, a Faismo, em São Miguel do Oeste, e a Festa do Pinhão, em Lages. “Mas precisamos ampliar isso cada vez mais”, afirma Lummertz, que elogia a pequena Piratuba, lugar de águas termais, que realiza neste momento a festa germânica Kerb Fest, promovida pela comunidade Evangélica Luterana em parceria com a prefeitura. 

UMA NOVA ORLA PARA TIJUCAS

FOTO EXPOSIÇÃO ORLA TIJUCAS

CRÉDITO: ADÃO PINHEIRO

A orla de Tijucas vai se transformar em mais um cenário cinematográfico do litoral de SC. A proposta de urbanização foi apresentada ao prefeito Eloi Mariano Rocha e aos empresários do Núcleo das Construtoras e Imobiliárias da Associação Empresarial de Tijucas (Acit), em reuniões realizadas na prefeitura e no Sebrae.  O projeto, que integra  as ações de valorização da cidade desenvolvido pelo Tijucas Marine Center (TMC), será entregue em março deste ano. De autoria da arquiteta, projetista naval e velejadora Helena Rocha, com escritório na Espanha, a reestruturação da orla de Tijucas prevê a implantação de um calçadão conceito, único no país, voltado para valorizar as pessoas, com espaço para atividades de esportes, lazer, comércio, gastronomia e acessibilidade, ao longo de 3,6 mil metros entre a foz dos rios Santa Luzia e Tijucas. De acordo com a arquiteta, o projeto tem o objetivo de integrar terra e mar, para que sejam frequentados tanto por navegadores como por moradores e turistas. “A ideia principal é de uma orla sem carros”, acrescenta. “É a valorização do ser humano em contato com o mar de forma moderna, seguindo as novas  tendências de uso da orla que fazem a Espanha uma referência no mercado turístico e na qualidade de vida. A orla é o elemento economicamente mais valorizado dos grandes destinos turísticos do mundo e a de Tijucas terá padrões de urbanismo internacional”, garante Helena. A arquiteta fez a apresentação do plano ao lado do diretor geral do TMC, Álvaro Ornelas (foto). 

COOPERATIVAS 

FOTO OCESC LUIZ VICENTE SUZIN

Um ano de retomada do crescimento, ampliação do mercado de trabalho, retomada dos investimentos e de aumento do nível geral de confiança no mercado. Essa é a previsão do presidente da Organização das Cooperativas (Ocesc), Luiz Vicente Suzin (foto), que lidera um setor que foi recordista em crescimento mesmo em meio à crise.

Qual sua expectativa para este ano?                                                                                             

Suzin - Certamente será um ano de desafios, mas no plano interno teremos uma boa safra e não deve faltar matéria-prima para a agroindústria. Os preços dos grãos devem reagir e o ano será bom para os produtores rurais e, por extensão, para toda a economia brasileira.                                                                                                                        

A partir deste ano as cooperativas de crédito poderão operar  com recursos dos municípios, isso é importante não?                                                                                                         

Suzin - É uma inovação que facilitará a vida das administrações municipais que não contam com bancos oficiais. As cooperativas de crédito atuam em todas as cidades, prestando serviços aos correntistas, às empresas e, agora, ao poder público municipal.

As mulheres estão tendo uma participação cada vez maior nas cooperativas?                       

Suzin - Embora seja um ambiente majoritariamente masculino, as mulheres estão conquistando espaço, voz, voto e cargos de comando. Entre os 2,1 milhões de associados, cerca de 800 mil são mulheres.                                                                                              

Qual a contribuição do cooperativismo para que SC superasse a crise nacional?                                                                                                                                                        

Suzin – A gente tem crescido acima da média: 15% no ano passado. Ignoramos a recessão de 2015 e 2016. As 265 cooperativas têm mais de 2 milhões de associados, mantêm 58 mil empregos diretos e faturam mais de R$ 31,5 bilhões por ano.

Novos caminhos                                                                                                                                 

Fazendo eco ao presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, o Programa de Desenvolvimento Econômico e Territorial (DET) deu tão certo no extremo oeste catarinense que não vai ser encerrado, como previsto, e será prorrogado por mais um ano. O projeto teve foco no turismo, em parceria com Associação dos Municípios (Ameosc). No final do ano, houve o lançamento do Roteiro Turístico Caminhos da Fronteira, que contempla 17 cidades. Primeiro, a ideia é valorizar a cultura, a história e desenvolver economicamente a região. Os próximos passos incluem a preparação, organização e melhoria da qualidade dos atrativos turísticos locais, consultorias técnicas nas áreas afins, elaboração do plano de marketing, criação de roteiros microrregionais integrados, fortalecimento da Instância de Governança Caminhos da Fronteira e Planejamento do Turismo Regional a longo prazo. O coordenador regional extremo oeste do Sebrae/SC, Udo Trennepohl, lembra que o projeto começou em 2015 e “em breve trará importantes resultados econômicos aos municípios, pois o turismo impacta 52 setores da economia”. 

OPORTUNIDADE

Estão abertas as inscrições para o concurso público da Celesc para diversas cidades. Os salários iniciais variam de R$ 1.106,40 a R$ 4.365,06. São 49 vagas: 16 para cargos de nível médio, 16 para cargos de nível técnico e 17 para cargos de nível superior. Do total, 20% são para pessoas com deficiência. A previsão é de que os primeiros concursados sejam chamados já a partir de maio deste ano. As inscrições podem ser feitas no site  http://2018celesc.fepese.org.br/ até 9 de fevereiro. A prova está marcada para 4 de março em Chapecó, Criciúma, Grande Florianópolis, Joinville e Lages. 

 

Comentários

Bondeconomia

Por Fernando Bond

Agenda

+ eventos