Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Bondeconomia - Por Fernando Bond

Bondeconomia Por Fernando Bond

Bondeconomia - Por Fernando Bond

OESTE COMPLETA 100 ANOS E COMEMORA A INTEGRAÇÃO COM AS DEMAIS REGIÕES

Publicado em 25/09/2017 Comente!

FOTO – PREFEITO DE CHAPECÓ LUCIANO BULIGON CRÉDITO: FERNANDO BOND

FOTO – PREFEITO DE CHAPECÓ LUCIANO BULIGON CRÉDITO: FERNANDO BOND

Há cem anos, em agosto de 1917, o então presidente do Estado de SC, Filipe Schmidt, emancipou de uma vez a área hoje ocupada por 70 cidades, criando o município de Chapecó, conquistado na Guerra do Contestado. Durante décadas e pelo menos até 1980, Chapecó e o Oeste viveram o isolamento provocado pela distância das demais regiões e construíram uma cultura, uma tradição e uma história que estavam muito mais ligados à imigração gaúcha do que propriamente à identidade catarinense. Apesar de manter o sotaque e os hábitos dos pioneiros, natural de qualquer colonização, nos últimos 20 anos a região cresceu e aos poucos se integrou a SC. Criou um modelo de agroindústria baseado no cooperativismo, em que milhares de famílias de pequenos produtores rurais construíram as grandes empresas que fizeram do Estado um dos maiores produtores de carnes e aves do mundo. Assim Chapecó e o Oeste começaram a ficar conhecidos ao redor do planeta, mas foi uma tragédia – o acidente com o avião da Chapecoense no final do ano passado na Colômbia – que fez gente do mundo inteiro aderir à hashtag somostodoschape. Quem esteve no Oeste dias depois da queda do avião pode identificar o sentimento que pairava no ar: a mesma dor produzia uma tristeza arrasadora também fazia as pessoas se unirem para dar a volta por cima. “Foi um ano desafiador”, diz o prefeito Luciano Buligon (foto), que esteve em Florianópolis para convidar os catarinenses de todas as regiões para a tradicional Efapi, a exposição agropecuária, industrial e comercial de Chapecó, criada há exatos 50 anos para comemorar o cinquentenário da cidade. Emocionado, Buligon garante que “conseguimos nos reconstruir e hoje estamos de novo com a autoestima elevada que sempre caracterizou nossa gente”. E nesse embalo, a Efapi deve levar 400 mil pessoas ao Parque Tancredo Neves, com 400 expositores, previsão de R$ 150 milhões em negócios, geração de 3,5 mil empregos temporários e shows nacionais entre grandes atrações.  

 

 

O BOM MOMENTO DO OESTE

Integrado a SC, o Oeste vive um momento excepcional.  Para se ter uma ideia, a Mercoagro, que é a feira internacional de negócios, processamento e industrialização da carne, que só vai acontecer em setembro do ano que vem, já está 90% vendida poucos dias depois do seu lançamento. A expectativa de negócios é de quase meio bilhão de reais. Também na área agropecuária, o Encadeamento Produtivo da Aurora Alimentos e Sebrae/SC consolidou-se como o maior programa de agronegócio do país. O projeto começou em 1998, para desenvolvimento de empreendedores rurais cooperativistas e, em 19 anos, contemplou mais de 45 mil pessoas. O programa é exemplo para outros estados, que com frequência realizam missões ao Oeste para conhecer os resultados. A visibilidade e a credibilidade do agronegócio do Oeste de SC fizeram também que o presidente da Federação da Agricultura, José Zeferino Pedroso, fosse eleito para a vice-presidência de finanças da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). “É momento para comemorar”, diz o prefeito Luciano Buligon. 

 

SC INOVA                                                                                                                                 

Semana passada foi de colher resultados da nova economia de SC. O governador Raimundo Colombo foi a São Paulo buscar o prêmio de vice-liderança em Competitividade no país. A revista Exame divulgou o ranking das 20 pequenas e médias empresas que mais cresceram em 2016. Seis são catarinenses. Além da Cata, de Florianópolis, startup de equipamentos para a coleta de moedas em lugares de grande circulação, primeiro lugar, destaque para o Grupo FW, de Blumenau, especializado em lenços umedecidos, 1º. lugar no seu segmento e 13º no geral. No 7º lugar, a Nanovetores, desenvolvedora de nano e microencapsulação de ativos cosméticos.   

FALANDO NISSO                                                                                                                           

“A inovação é imprescindível para o nosso negócio e vai se tornar fator-chave para todas as empresas que queiram continuar crescendo”

Betina Zanetti Ramos, diretora técnica Nanovetores, 7ª colocada entre pequenas e médias empresas que mais cresceram no Brasil.  

PEQUENOS

Caminhos para que micro e pequenos empresários tenham acesso ao crédito é o tema das palestras gratuitas que o Sebrae e o BNDES promovem esta semana em SC, em Lages, Florianópolis e Jaraguá do Sul. Analista técnica do Sebrae, Silvia Carvalho afirma que as entidades sabem “quanto um empréstimo na hora certa pode ajudar um empresário a alavancar seu negócio”. 

 

JURO ZERO                                                                                                                                         

Falando em pequenos, a Prefeitura de Palhoça está lançando um programa para microempreendedores que vai injetar R$ 10 milhões na cidade. É o Juro Zero Palhoça, para setores de tecnologia, serviços, pesca e maricultura. “Essa é só mais uma etapa de uma sequência de ações de apoio ao empreendedorismo”, garante o prefeito Camilo Martins.  

 

RINETEC    

O prefeito de Rio Negrinho, Julio Ronconi, deve concluir até o final do ano uma das obras que está fazendo para combater o principal problema da cidade: o desemprego. Até lá deve estar pronta a Incubadora Tecnológica Rinetec, que vai abrigar empresas de inovação e tecnologia por até cinco anos.   

                                                                                 

Os sinais                                                                                                                                                           

É nas cidades de pequeno porte que a recuperação econômica do comércio dá seus mais alentadores. A capilaridade do sistema lojista catarinense, com mais de 200 CDLs em 295 municípios, permite fazer uma leitura mais exata. Em cima dos números, o presidente da Federação das CDLs, Ivan Tauffer, diz que “entre os itens que puxam essa recuperação está a melhora na oferta de crédito, o aumento da massa salarial e a liberação do FGTS inativo”. O bom momento é percebido principalmente em redes com presença bem distribuída em SC, como a Berlanda, que tem 186 pontos de venda. “Tivemos crescimento de 8,96% no faturamento nos primeiros oito meses com relação ao mesmo período de 2016”, informa o superintendente da rede, Gilson Bogo. 

EXEMPLO      

                                                                                                                                                                                  Uma das líderes do setor de embalagens de papelão ondulado no Brasil, a Celulose Irani promoveu workshops sobre inovação e sustentabilidade durante a Feira Gera 2017, no Centro de Eventos da Unoesc, em Joaçaba. Parceira do evento desde a primeira edição, em 2015, a Irani apresentou cases premiados e práticas incorporadas no dia a dia de suas unidades. Recentemente a companhia recebeu o Prêmio Catarinense da Excelência, que elege empresas com melhores práticas em gestão.  

FOTO NICOLAU E DIOGO PÍTSICA

CRÉDITO: DANI LUZ

ARTÍFICES            

 Advogados, empresários, professores e estudantes fizeram fila no Centro Integrado de Cultura de Florianópolis para o lançamento do quinto livro do jurista Nicolau Apóstolo Pístsica, ‘Artífices do Conhecimento Jurídico’. Ao lado do autor, o filho Diogo Pítsica (à direita na foto), procurador-geral da Capital.  

Comentários

Bondeconomia

Por Fernando Bond