Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Bondeconomia - Por Fernando Bond

Bondeconomia Por Fernando Bond

Bondeconomia - Por Fernando Bond

FIESC E ENGIE SE UNEM PARA EVITAR FUGA DE RECURSOS DO FUNDO SOCIAL

Publicado em 14/08/2017 Comente!

FOTO PRESIDENTE FIESC E DIRETOR DA ENGIE  CRÉDITO: FILIPE SCOTTI/FIESC

FOTO PRESIDENTE FIESC E DIRETOR DA ENGIE CRÉDITO: FILIPE SCOTTI/FIESC

“A empresa que investe no social é sempre reconhecida. O envolvimento da sociedade faz muita diferença nesse processo”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias, Glauco José Côrte (ao centro na foto) na assinatura do termo de cooperação da entidade, por meio do Sesi, e a Engie do Brasil Energia, para promover a cultura da renúncia fiscal pelas empresas e também por pessoas físicas. O objetivo é prover de recursos o Fundo Social, que oferece a gestão de projetos em regiões de menor densidade de desenvolvimento, nas áreas de saúde, esporte, cultura, idoso, infância e adolescência. O diretor administrativo da Engie, Júlio Lunardi (à direita), lembra que o recurso incentivado exerce grande influência na comunidade onde atua. “A Engie procura apoiar projetos que agreguem renda e promovam o crescimento das regiões em que atua”, explicou. A companhia é a única no Estado que, no último ano, conseguiu alocar 100% da renúncia fiscal em projetos sociais. E assim desenvolveu o Programa Capacitar, que promove workshops sobre leis de incentivo federal, preparando entidades do terceiro setor para serem proponentes de projetos. Jaraguá do Sul, primeira cidade a implantar o Fundo Social, será o modelo para os demais municípios. Em SC mais de duas mil empresas atuam no regime de lucro real e representam um volume de R$ 200 milhões que podem ser aplicados em projetos sociais locais. Muitos destes recursos não são utilizados ou acabam sendo pulverizados para outras regiões do país pela ausência de projetos bem elaborados.

FOTO SIMONE KELLER FÜCHTER

CRÉDITO: AP ALLEXANDER

 

NOSSA TECNOLOGIA NA NASA

A Nasa está em busca de novas técnicas de realidade virtual (RV) para o treinamento dos seus astronautas e descobriu em SC alguém que pode ajudar nisso: a professora Simone Keller Füchter (foto), da Estácio e da Unisul. No fim do mês ela apresenta na sede da agência espacial americana, em Houston, os resultados das pesquisas que desenvolveu nas áreas de RV e realidade aumentada (RA). Simone fará uma palestra sobre treinamento de técnicos em equipamentos específicos como periféricos de computadores e motores, focando no uso de equipamentos em 3D projetados em cima das mesas, para que profissionais de diferentes áreas possam ganhar habilidades no manuseio de equipamentos e ferramentas de forma virtual. Na prática, aqui em SC, Simone já usa essa tecnologia na sala de aula, em quadros-negros virtuais, onde os alunos podem assistir conteúdos em 3D ou vídeos ao direcionarem o celular para imagens impressas. Essa tecnologia também já está sendo utilizada por supermercados para expor informações dos produtos aos consumidores, e na arquitetura, para fazer o cliente “entrar” no projeto e experimentar sua movimentação no ambiente virtual. Simone é formada em Administração de Empresas pela ESAG/Udesc e professora de Jogos Digitais e Administração na Estácio e de Sistemas de Informação na Unisul. 

 

TALENTOS

E falando em talentos catarinenses, a Lee Hecht Harrison (LHH), líder global em desenvolvimento de talentos e transição de carreira, com 450 escritórios em 65 países, inaugura no fim do mês a sua base em SC num evento na Associação Empresarial de Joinville (Acij). Aqui a LHH já atende a clientes como Tigre, Ciser e Whirlpool. Internacionalmente, companhias como Apple, Disney, Coca-Cola e Google figuram no portfólio. 

FOTO PRESIDENTE FCDL IVAN TAUFFER

CRÉDITO: DIVULGAÇÃO

 

PERPLEXIDADE

Foi assim que reagiu o setor produtivo catarinense diante do possível aumento do imposto de renda, hipótese levantada pelo governo federal na semana passada. "O que mais todos pedimos neste momento é justamente o inverso, para que as pessoas tenham a possibilidade de ampliar o consumo, o emprego retome a curva ascendente e o empresário deixe de ser tão penalizado com a pesada carga tributária. Em suma, queremos é liberdade para que a economia volte a crescer", defende Ivan Tauffer (foto), presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL/SC). (563)

 

BREITHAUPT  

                                                                                                                               

E o comércio dá sinais de otimismo. A tradicional Rede Breithaupt colocou em prática o projeto de se tornar a maior do segmento de materiais de construção e máquinas e ferramentas do Norte de SC até 2021. Abriu operações em Pomerode, Barra Velha e Timbó Grande e reinaugurou a filial de Mafra. Há notícia de que também vai se instalar em Rio Negrinho. E pôs em andamento uma grande reforma em Jaraguá do Sul. Na semana passada, uma unidade foi aberta em Schroeder. Em todas elas o consumidor tem acesso aos serviços financeiros, como o empréstimo pessoal Dinheiro na Mão, os financiamentos de mão de obra Reforma Fácil e para manutenção automotiva Conserto Fácil, bem como a Garantia Estendida.  

Made in SC

Já está virando bordão desta coluna: mais uma empresa genuinamente catarinense se destaca no exterior. A Catharina Sour de Uva Goethe, da cervejaria Lohn Bier, de Lauro Müller, foi considerada a melhor cerveja do mundo na categoria Flavored Fruit & Vegetable, no World Beer Awards, realizado em Londres. A competição global premia as melhores cervejas do mercado, o que já está virando rotina para a Lohn. “Já temos 25 medalhas, inclusive fomos considerados a melhor cervejaria da América Latina neste ano, mas esta, sem dúvida, é uma das mais importantes. É um reconhecimento mundial”, comemora Eduardo Felisbino, diretor da Lohn. O World Beer Awards passa por todos os continentes com etapas regionais e classifica as mais premiadas para fases em que as cervejas de diversos países competem entre si. A Lohn, além do prêmio máximo pela Catharina Sour de Uva Goethe, recebeu outras três medalhas de ouro pelas cervejas Ipa Serra do Rio do Rastro, Quadruppel e Carvoeira. A cervejaria artesanal do Sul do SC foi inaugurada em 2014, aos pés da Serra do Rio do Rastro. Tem  44 funcionários e capacidade para produzir 140 mil litros por mês. (1139)

MULHERES

Empresárias e empreendedoras que buscam identificar prioridades, equilibrar a vida pessoal e profissional, reconhecer e desenvolver seus talentos e assumir novas responsabilidades são o público-alvo do Springboard - Programa de desenvolvimento para mulheres, quatro workshops abertos pela Univali no campus de Itajaí. Quem ministra é a especialista em marketing internacional Corinne Giely-Eloi, que durante 20 anos trabalhou com lideranças empresariais na França e Inglaterra. Informações em www.univali.br/cursosextensao. (523)

Comentários

Bondeconomia

Por Fernando Bond

Agenda

+ eventos