Floripa News
Cota??o
Florian?polis
Twitter Facebook RSS
Series A: Biz & Startups - Por Marcos Buson

Series A: Biz & Startups Por Marcos Buson

Series A: Biz & Startups - Por Marcos Buson

WhatsApp – Ensaios sobre Lean, Tração e Monetização

Publicado em 22/02/2014 Comente!

Facebook compra o Whatsapp por $19B

Facebook compra o Whatsapp por $19B

Todos foram bombardeados por noticias da compra do WhatsApp pelo Facebook nessa semana. O preço final de $19 Bilhões de dólares: $ 12 bilhões em ações do Facebook, $ 4 bilhões em dinheiro e US $ 3 bilhões em ações restritas impressiona qualquer um. Poucos artigos conseguiram explicar o porquê dessa aquisição agressiva. Então decidi escrever um post direto sobre o que é o conceito whatsapp.

No Games, No Ads, No Gimmicks: Sem jogos, sem anúncios e sem truques (bilhete na mesa do CEO). Esse foi o segredo do WhatsApp. Daqui pra frente esses termos serão utilizados em soluções que pretendem escalar no mercado rapidamente. 

Lean: Better, Faster, Cheaper: O WhatsApp foi o único app de seu segmento que conseguiu aplicar o conceito de minimalismo na prática. Menos é mais, e isso foi comprovado, principalmente para quem almeja adquirir milhões de usuários (isso não é novidade).  Ter um app simples, clean e que funcione bem (estabilidade é tudo!) é melhor do que adicionar features e criar rejeição com seus usuários com bugs e duvidosa UX. Pergunta: Por que você não utliliza o Viber ou o Facechat? 

Valuation de $19 Bilhões: Muito se especulou após a divulgação da compra sobre a superfaturação do valor de mercado do aplicativo. Entretanto alguns fatos, comprovam que seu valuation não está tão fora:

a.     O Whatsapp teve 3 rodadas de investimento, duas delas não divulgadas. Em todas, o VC mais famoso do Valley, Sequoia, liderou os rounds.  No último round a empresa foi avaliada em $1,5 Bilhão. Resultado: menos mídia + foco no produto + menos tempo de fundraising = Crescimento exponencial.

b.     O Google fez uma oferta de 10 Bilhões para o whatsapp. Qualquer founder com sanidade mental teria aceitado essa proposta, inclusive seu VC, que já possuiria um retorno aceitável. Entretanto as entrelinhas da proposta  possuía um detalhe,  ela não oferecia um vaga no conselho administrativo ao WhatsApp, já o Facebook, concedeu essa vaga. Pra quem não lembra, o Viber comprado pela Rakuten por 900 Milhões de dólares com 300 Milhões de usuários ativos em mercados nem tão emergentes quanto aos que o Whatsapp cresce.

c.     Dados interessantes:

 

O mundo dá voltas: As dispensas do Facebook e do Twitter do ex-funcionário da Yahoo Brian Acton em 2009 foram motivo de piada na mídia. Contudo, tenham certeza que: Brian NÃO teria desenvolvido o Whatsapp como funcionário do Twitter ou Facebook. 

O mundo dá voltas MESMO: A brincadeira de Mark Zuckerberg com a Sequoia, que inclusive foi relatada no filme sobre a história do Facebook, custou caro. Juntos: Instagram + WhatsApp renderam para o fundo algo em torno de $ 4 Bilhões. Nada mal ter duas aquisições em um ano, em outras palavras, é como ganhar 2 vezes na loteria do capital de altíssimo risco em um mesmo ano, ou em números Brasileiros, ganhar umas 160 vezes na Mega Sena. Só por curiosidade, o Sean Parker, que motivou a desevença do Facebook com a Sequoia, tem um patrimônio estimado em 2 Bilhões. Moral da história: Não faça de um VC um desafeto. 

Não restam dúvidas que o Facebook não medirá esforços para conquistar todas redes sociais e plataformas de conteúdo no mundo. Sua ação atacando mercados emergentes vai de encontro com a estratégia “out of the box” dos investidores do Silicon Valley. E para quem não entendeu, a o valor da empresa se deu pelo seu potencial de penetração, a tração, usuários recorrentes e a capacidade de coleta de dados dos usuários. Entenda isso como preferir, seja publicidade futura, identificação de padrões de comportamento entre outras formas de valorização/monetização.

Por fim, inspirados no WhatsApp, a consolidação dos modelos de monetização a longo prazo no qual a meta é a aquisição de usuários com soluções simples e objetivas serão tendência nos próximos anos. Isso resulta em uma necessidade maior de investimentos para empresas de tecnologia para suportarem os primeiros anos sem receita ($1 por download não bancava as operações do WhatAspp). Como já disse um amigo meu, boa sorte pra você que buscam investimento para startups modelos open source de escala.

E lembre-se "Users First, Profit Later". 

 

Marcos Buson / Twitter: @marcosbuson

 

Tags: WhatsApp , M&A , Facebook , Sequoia 

Comentários

Series A: Biz & Startups

Por Marcos Buson

Agenda

+ eventos